A Polícia segue em busca do paradeiro de Elivelton Santos Furtado, de 22 anos. Ele é apontado como principal suspeito do brutal assassinato da menina Heloá Pereira, de apenas 11 anos de idade, ocorrido na semana passada, na cidade de Piedade, Região Metropolitana de Sorocaba, no interior de São Paulo. O corpo da vítima foi encontrado na noite da última sexta-feira (20), pelo irmão do suspeito, que já teve sua prisão temporária decretada pela Justiça.

A mãe do rapaz suspeito, que não teve o nome revelado, acompanha as buscas e disse que se o filho for de fato culpado, deverá pagar por seu crime.

“Se foi ele, vai pagar. E, se não foi, quero que encontrem quem foi”, falou a mulher ao portal G1.

Ela descreveu ainda um comportamento estranho do filho nas horas que antecederam o encontro do corpo da menina, que desapareceu na quinta-feira (19). Ela disse que naquele dia ele havia limpado seu quarto e queimado coisas no quintal. Ela relatou ainda que o rapaz após saber que a imprensa estava noticiando o sumiço de Heloá e que a polícia faria buscas pela região, ele demostrou nervosismo, pegou a faca, saiu e não retornou mais. “Ele estava muito nervoso”, comentou.

Irmão do suspeito foi quem encontrou o corpo

De acordo com a polícia foi um irmão do suspeito de ter cometido o crime quem encontrou o corpo da menina, já na noite de sexta-feira.

Ele estava dentro de uma fossa desativada, de mais de dois metros de profundidade. O buraco estava coberto com pedaços de madeira.

Segundo uma vizinha da vítima, o homem decidiu andar em volta da casa da menina, quando ao ver o que tinha no buraco conseguiu enxergar os joelhos da garota. Ao notar o que poderia ser o corpo de Heloá, ele entrou em desespero.

“Ele viu o joelho dela e já ficou apavorado”, relatou Ingrid Verônica dos Santos.

O desaparecimento

Heloá desapareceu por volta das 6 da manhã da última quinta-feira (19), quando foi deixada sozinha em casa por seu pai, que havia saído para carregar seu caminhão com verduras. Ao voltar, cerca de meia hora depois, ele se deparou com a porta da residência aberta e não encontrou a filha, apenas o cobertor com o qual ela dormia estava caído no chão.

Ela foi encontrada na sexta-feira (20), dentro de um buraco, vestindo apenas camiseta. A calcinha e a calça estavam ao lado do corpo, que estava enrolado em um saco plástico, lençol e cobertor. A polícia suspeita que a menina tenha sido violentada, mas por conta do avançado estado de decomposição do corpo, o Instituto Médico Legal (IML) de Sorocaba, não conseguiu detectar isso através de exames. Ela também apresentava 18 perfurações de faca no peito e costas e ferimentos na cabeça.

O corpo de Heloá Pereira foi sepultado na tarde do último sábado (21), no cemitério Jardim Eterno, em Piedade.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!