O mecânico Paulo Rocha, de 48 anos, foi preso em flagrante na noite deste domingo (26), após atropelar 17 pessoas que estavam em um bar, na região central de Nova Independência, cidade de cerca de 4 mil habitantes, no interior de São Paulo. Duas pessoas não resistiram aos ferimentos e morreram enquanto que o acusado chegou a ser agredido por populares, foi salvo pelos policiais e está em um hospital protegido por escolta.

De acordo com informações passadas pela Polícia militar, o suspeito estava no estabelecimento acompanhado de sua esposa e teria se envolvido em uma discussão com outros homens.

Ele deixou o local e pouco depois retornou com a caminhonete, avançado em alta velocidade contra as pessoas que estavam na parte de fora do bar.

O atropelamento em massa deixou 17 pessoas feridas. Elas foram socorridas e encaminhadas à Santa Casa de Andradina e para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Dentre essas vítimas, Jhonatan Coelho Rocha, de 26 anos, e João Bringel, de 56, não resistiram aos ferimentos e morreram. Não há informações sobre velório ou sepultamento das vítimas.

O mecânico ainda sofreu uma tentativa de linchamento por parte dos populares, mas a polícia conseguiu conter o tumulto.

Mesmo assim, o motorista ficou machucado e foi levado para a Santa Casa de Andradina, onde se encontra sob escolta policial.

Preso em flagrante, ele foi autuado por homicídio doloso e embriaguez ao volante, além de posse ilegal de munição, uma vez que foram encontradas diversas munições no veículo do acusado.

Chacina em bar na capital

Também na noite deste domingo (26), três homens foram mortos a tiros e outros três ficaram feridos em uma chacina ocorrida no bairro Capão Redondo, na Zona Sul de São Paulo.

De acordo com informações passadas por testemunhas, os atiradores chegaram ao local em dois carros brancos e sem dizer nada abriram fogo contra um grupo que acompanhava uma partida de futebol. Os sobreviventes foram encaminhados ao Hospital do Campo.

Dois homens, de 39 e 44 morreram no local da chacina enquanto que o dono do bar, de 38 anos, chegou a ser socorrido, mas morreu no hospital. Uma pessoa que estava no bar e que pediu para ter sua identidade mantida sob sigilo, afirmou que as vítimas não possuíam inimigos na região.

Pouco depois do triplo homicídio, um veículo com as mesmas características descritas pelas testemunhas foi encontrado incendiado a poucos quilômetros do bar onde ocorreu o crime. Imagens feitas por câmeras de segurança do bar e dos estabelecimentos próximos serão usadas nas investigações, que estão á cargo do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP). Foram encontradas por peritos capsulas de calibre 12 na calçada e dentro do bar.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!