O Cinema cresceu bastante no Brasil ao longo do ano de 2019. O crescimento está ligado ao público, mas também à arrecadação quando comparado ao ano anterior. Entretanto, as produções nacionais acabaram perdendo alguns espectadores.

De acordo com dados publicados no portal G1, de uma forma geral, o público acabou aumentando cerca de 7,6% e saltou de 160 milhões em 2018 para 172,2 milhões em 2019. Entretanto, apesar desse aumento significativo, é possível pontuar que tal público representou um dos menores nos últimos cinco anos.

Também segundo o levantamento do portal, o consumo de filmes nacionais passou por uma queda de 22,9 milhões para 22,6 milhões, o que representa uma perda de cerca de 300 mil de espectadores em apenas um ano.

Por fim, no que se refere à arrecadação, ela passou por um aumento de 13%. Assim, a renda acumulada foi de mais de R$ 2,7 bilhões somente em 2019, representando 300 milhões a mais do que no ano de 2018.

É possível destacar também que quando se fala a respeito de valores, a arrecadação do ano de 2019 pode ser considerada a maior em 17 anos, de acordo com dados disponibilizados pela própria Ancine (Agência Nacional do Cinema).

Quando se leva em conta os valores atualizados, em decorrência da inflação, o ano de 2019 sofre uma queda e passa a ocupar apenas a quarta posição da lista de maiores bilheterias, perdendo para o período compreendido entre 2015 a 2017.

Salto influenciado por dois fatores

De acordo com Paulo Sérgio Almeida, diretor responsável por sucessos de bilheteria nacionais como "Sonho de Verão" (1990) e "Xuxa Popstar" (2000), em entrevista ao G1, esse salto em termos de arrecadação está ligado a dois fatores.

Segundo Almeida, que também é fundador da empresa Filme B, responsável por realizar análises de mercado ligadas ao cinema, essa diferença ocorreu devido ao aumento das salas de cinema espalhadas pelo país. Ao todo, foram registradas pela Ancine 3.201 salas em todo o Brasil.

Além disso, Paulo Sérgio Almeida também atribui esse aumento de arrecadação a uma boa fase da Disney, que lançou filmes que foram verdadeiros sucesso de bilheteria, além de serem bastante aguardados pelo público em geral.

Entre os filmes lançados pelo estúdio norte-americano em 2019, destacam-se, por exemplo, os live actions de "Aladdin" e "O Rei Leão", duas animações queridas pelo público, e também o quarto volume da franquia "Toy Story", um grande sucesso da Disney.

Apesar de todo esse aumento, é possível afirmar que as idas ao cinema ficara mais caras ao longo de 2019, especialmente quando se considera o preço das entradas, cujo custo médio saltou de R$ 14,23 para R$ 15,02, representando um aumento de 5,63%.

Siga as suas paixões.
Fique atualizado.

Não perca a nossa página no Facebook!