Câmeras de segurança registraram o momento em que duas pessoas armadas invadiram quadra poliesportiva de uma Escola particular e efetuaras disparos na direção de um grupo de adolescentes, deixando três deles feridos. O caso aconteceu na noite desta quarta-feira (15), no bairro no Bairro José Walter, em Fortaleza, no Ceará.

A invasão aconteceu por volta das 19h30, quando na ocasião estava acontecendo uma partida de futebol organizado por um projeto social, que é desenvolvido e mantido por uma igreja evangélica.

A diretoria da escola emitiu uma nota onde ressaltou que se trata de um caso isolado. De acordo com a instituição, dois dos feridos são alunos do colégio e o outro estava no local apenas para assistir a partida.

Ainda de acordo com a escola, os adolescentes não foram feridos com gravidade e estão se recuperando. Os três foram levados para o Hospital Distrital Gonzaga Mota do José Walter, sendo que dois foram posteriormente transferidos para o Instituto Doutor José Frota (IJF), no Centro da capital.

O estado de saúde dos jovens, que não tiveram seus nomes revelados, não foi divulgado.

Imagens flagraram a ação

As imagens registraram o momento em que um grupo de pessoas, que estava vendo o jogo, começa a correr assim que ouviu-se o primeiro disparo. Na sequência surge a dupla armada que atira na direção de um dos jovens. Ele ainda tenta correr, mas é perseguido pelos invasores, que usavam capacetes e fugiram logo após a ação.

As imagens que registraram o tiroteio foram entregues para a Polícia, que está fazendo diligências em busca dos suspeitos. Até o final da tarde desta quinta-feira (16), ninguém havia sido preso.

Um filme de terror

A mãe de um dos adolescentes baleados descreveu a situação como sendo um filme de terror e disse que não deseja isso para ninguém.

A mulher, que preferiu não se identificar, contou que estava em sua casa e correu para a escola assim que escutou os tiros.

A chegar no local encontrou o filho baleado e com a mão na cintura. “Pensei que era uma chacina, que iam matar todo mundo”, disse a mulher, que acredita que o filho estava ali no momento errado.

Adolescente não sentiu o tiro

Sobre o ferimento, ela disse que foi um tiro superficial e que o projétil pode ser retirado sem nenhum problema. Porém, ela acredita que as consequências poderiam ser piores. “Se pega de frente, ele fica paraplégico. Foi na gordura magra, bem próximo da coluna”, conta.

A mulher disse ainda que o filho não sentiu nada ao ser atingido. De acordo com ela, o filho ainda chegou a correr e se jogar no chão e só notou que estava ferido ao ser avisado por um amigo.

“A cena foi feia, eram muitos adolescentes correndo para todo lado”, descreve.

Não perca a nossa página no Facebook!