Nesta última terça-feira (28), ocorreu o julgamento e leitura da sentença de uma tentativa de feminicídio, que aconteceu em agosto de 2019, na região central do município de Venâncio Aires, no Rio Grande do Sul.

Com réu e vítima presentes na mesma sala, o julgamento se tornou assunto na mídia, após Micheli Schlosser, que na ocasião teria levado 5 tiros do ex-namorado, se aproximar do réu e beijá-lo diante de todos os presentes.

Segundo o promotor do caso, Pedro Rui da Fontoura Porto, a vítima alegou que era a culpada pelo descontrole emocional do acusado e que a discussão que resultou com a tentativa de feminicídio, teria ocorrido após a mesma ameaçar o namorado de uma falsa denúncia de abuso.

Revelando ter perdoado o homem que tentou tirar sua vida, a vítima ainda posou ao lado do réu, bem como dos advogados envolvidos no caso.

Vítima de tentativa de feminicídio perdoa agressor

Na cidade de Venâncio Aires, no Rio Grande do Sul, durante uma sessão do Tribunal do Júri, a jovem Micheli Schlosser, de 25 anos de idade, assumiu publicamente diante do júri, ter perdoado seu namorado, Lisandro Rafael Posselt, de 28 anos, após o mesmo tentar contra sua vida.

A tentativa de feminicídio se deu no dia 14 de agosto de 2019, após uma intensa discussão protagonizada entre o casal em uma praça de Venâncio Aires.

Com os ânimos alterados, durante a discussão Lisandro teria deixado o local, retornado pouco tempo depois em uma motocicleta munido de uma arma de fogo.

Micheli, que na época estava na praça acompanhada de um grupo de amigos, notou a aproximação do namorado com quem havia discutido e com a ajuda dos colegas, se escondeu no interior de um carro.

Disposto a colocar um ponto final na briga, bem como na vida da namorada, Lisandro disparou sete vezes contra o vidro traseiro do veículo, acertando cinco tiros em Micheli.

Ferida, Micheli foi encaminhada para o hospital, onde ficou internada se recuperando dos ferimentos a bala.

No dia seguinte ao crime, Lisandro se apresentou às autoridades locais da delegacia de Venâncio Aires, na companhia de um advogado.

Ao se apresentar na delegacia, Lisandro entregou a arma usada para atirar contra a namorada e foi preso preventivamente.

Pena será cumprida em liberdade

Preso desde agosto do último ano, Lisandro foi condenado judicialmente a uma pena de sete anos de detenção por tentativa de feminicídio e porte ilegal de arma de fogo.

Ele deve cumprir a pena em liberdade, devido ao fato de não possuir antecedentes criminais e sua condenação ser menor do que oito anos de reclusão.

Para o advogado de defesa, Jean Severo, a atitude da vítima durante o júri foi inesperada, mas contribuiu com a estratégia de defesa, que segundo o mesmo, não recorrerá da decisão tomada pelo magistrado.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!