Terminou bem o caso envolvendo um casal de jovens que havia desaparecido na virada do ano, em Bertioga, no litoral de São Paulo. Após receberem informações de pessoas que alegaram tê-los visto, os familiares os encontraram, mas ficaram revoltados com as circunstâncias nas quais o “sumiço” se deu.

O drama dos familiares começou no primeiro dia do ano. Logo após mandarem mensagens desejando feliz ano novo aos familiares, que moram em Atibaia e Itaquaquecetuba, Leticia Rodrigues Moraes de Lima e Pietro Felipe Papini, ambos de 20 anos, não fizeram mais contato e também não atenderam as ligações.

A última informação que haviam tido deles é que eles haviam sido vistos indo para um local conhecido como Prainha Branca, local usado para acampamento e que fica na divisa entre as cidades de Bertioga e Guarujá.

Na ocasião, Edneia Rodrigues, mãe de Leticia Rodrigues Moraes de Lima, de 20 anos, disse que a filha havia ficado de retornar para Itaquaquecetuba, local onde mora, na quarta-feira (1º), uma vez que precisava trabalhar no dia seguinte.

Já os familiares do rapaz, que moram em Atibaia, passaram a fazer contato com delegacias e hospitais do litoral, porém como os hospitais só davam informações pessoalmente, eles decidiram ir até lá para tentarem descobrir o paradeiro dos jovens.

Foram encontrados almoçando

De acordo com informações publicadas pelo portal G1, uma pessoa que trabalha em um quiosque da Prainha Branca disse que teria visto os jovens nas proximidades e entrou em contato com os familiares para avisar.

O pai de Pietro foi até o local onde o casal havia sido visto pela última vez e se deparou com os jovens almoçando em um restaurante, fato que gerou indignação por parte dos familiares.

“Falta de responsabilidade e de respeito, não pensam em ninguém”, esbravejou Erica Felipe, mãe de Pietro.

De acordo com Érica, a explicação dada pelos jovens foi que o telefone celular havia quebrado e que eles estavam tentando fazer contato, mas a versão foi questionada. “Estavam (com telefone quebrado) nada. Um monte de gente com telefone por perto, alguém teria ajudado”, disse Érica. “Estavam vivendo em um mundinho à parte”, seguiu dizendo.

Já Edneia disse que está aliviada pelo fato de a filha ter sido encontrada, mas também muito chateada pela atitude. Ela disse que chegou a pensar no pior quando viu no noticiário a informação sobre um casal ter sido encontrado morto. “No desespero, a gente começa a imaginar coisas”, disse.

O pai de Pietro levou o casal de volta para as cidades de origem e a mãe de Leticia prometeu ter uma boa conversa com a filha.

Siga as suas paixões.
Fique atualizado.

“Quero que ela chegue e me dê uma explicação”, disse a mãe da jovem.

Não perca a nossa página no Facebook!