Um menino de apenas 11 anos é o principal suspeito de matar o padrasto, Rivanildo de Alencar Tamborim, de 43 anos, na madrugada da última terça-feira (11), em Campinas, no interior de São Paulo. Segundo informações do site Metrópoles, o menino pegou uma faca na cozinha para defender a mãe e o irmão, de 15 anos, que estava sendo enforcado pelo padrasto, e, com duas perfurações, matou o homem. Segundo o Boletim de Ocorrência, o garoto confessou o crime.

Entretanto, segundo a mãe do menino, esse não foi primeiro episódio violento do padrasto, com quem se relacionava há cerca de dois anos.

Em 2008, um boletim de ocorrência já havia sido feito pela mãe contra o companheiro. Na época, o homem acusava a mulher de tê-lo traído.

Briga por contas atrasadas

Toda a tragédia citada acima teve início na noite da última segunda-feira (10), depois que o homem chegou em casa e não gostou de ser cobrado pela companheira por causa de contas atrasadas da residência. Por isso, de acordo com o registro policial, começou a agredir verbalmente e fisicamente a mulher.

Após a morte, na delegacia, o menino contou que estava no andar debaixo da residência quando começou a ouvir gritos e sons de tapas sendo dados em sua mãe.

Segundo o garoto, ele ficou apavorado quando viu seu irmão mais velho sendo enforcado pelo padrasto ao tentar ajudar a mãe.

Por isso, para tentar proteger o irmão mais velho, e sem poder sair de casa, já que o padrasto havia escondido todas as chaves e controles da residência, o menino de 11 anos foi a cozinha e voltou com uma faca nas mãos. Logo, ele perfurou o padrasto por duas vezes no pescoço.

Além da mãe, do irmão e do garoto, uma criança de 6 anos também estava na casa, e no momento do ocorrido dormia em um dos quartos.

Na delegacia, o menino relata ter ficado assustado com o ocorrido. Também se sabe que ele sempre presenciou brigas entre a mãe e o companheiro, entretanto, antes era seu irmão mais velho, de 19 anos, que separava as brigas do casal. Contudo, recentemente ele foi morar com a namorada, sendo assim, desta vez ele não estava na casa no momento da briga.

Menino é liberado

Após confessar o crime na delegacia, o menino foi liberado e ficará sob custódia da mãe. Depois disso, para o site Metrópoles, uma tia, Maria Helena, disse que a família sabe que o menino não tinha real intenção de tirar a vida de Rivanildo. “Vamos buscar ajuda psicológica”, relatou ela ao atender o celular da mãe do garoto.

Em seguida, Maria ainda explicou porque atendeu o celular de sua irmã. Ela conta que a mãe das crianças está sem condições de falar. “Está deitada e não quer falar”, relatou.

Fotos felizes nas redes sociais

Antes de toda essa tragédia, a família exibia sorrisos em fotos postadas nas redes sociais.

Em uma das imagens, onde aparece a mãe, os filhos e o padrasto, ela legendou dizendo que uma família feliz é o refugio que prevalece em pé, mesmo sob as maiores tempestades.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!