Alan Santos, de 22 anos, suspeito do assassinato de sua namorada, a gerente de hipermercado Fernanda Souza, foi encontrado morto na manhã deste sábado (22), em sua cela, no Núcleo de Custódia de Aparecida de Goiânia.

Ele havia sido transferido para a unidade nesta sexta-feira (21), e, de acordo com a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), o detento estava sozinho no local. A DGAP informou que a Polícia Civil e a Polícia Civil foram acionadas e foi aberto procedimento interno para apurar as causas da morte do detento.

O desaparecimento de Fernanda

A mulher que estava desaparecida desde o dia 12 de fevereiro, quando saiu do trabalho em Goiânia e retornou para Bela Vista de Goiás, na Região Metropolitana da capital. Imagens de uma câmera de segurança registraram o carro da jovem passando por uma rua e depois voltando.

No dia 13, familiares receberam uma mensagem vinda do celular da vítima afirmando que ela não poderia atender as ligações porque o aparece estava com defeito. Tal mensagem gerou desconfiança por parte dos familiares, que não acreditaram, que teria sido Fernanda quem a enviou.

Na quarta-feira (19), uma semana após o sumiço da jovem, seu carro foi encontrado abandonado na zona rural da cidade. A polícia encontrou dentro do veículo. Na mesma zona rural foram encontrados um pedaço de pau com manchas de sangue e fios de cabelo, que passaram por perícia.

O suspeito disse que naquela noite discutiu com a mulher e acabou a mantando em Bela Vista. Ele levou o corpo para uma região de mata entre Caldas Novas e Piracanjuba.

A prisão do namorado de Fernanda

Um dia antes de o veículo ser encontrado, a polícia já tinha prendido Alan, que havia iniciado o relacionamento com a vítima há pouco mais de 20 dias. Ele foi detido na cidade de Marianópolis do Tocantins, na região oeste do estado, após apresentar uma CNH falsa, quando estava em um ônibus.

A polícia regou até ele após ser feito rastreamento do aparelho celular da jovem que estava com ele.

O ônibus tinha como destino Santa Maria das Barreiras, no Pará, e ele havia usado o documento falsificado para comprar a passagem. Ele também foi reconhecido pelos policiais por conta de uma tatuagem.

Ainda de acordo com a família, cartões de crédito da jovem foram usados depois de seu desaparecimento e todo o dinheiro de sua conta foi retirado.

A confissão do assassinato de Fernanda

Na última quinta-feira (20), segundo a polícia, Alan confessou que matou a Fernanda após uma discussão no dia 13 e indicou onde enterrou o corpo, em uma zona de mata da cidade, entre Caldas Novas e Piracanjuba, no sul do estado.

O suspeito disse que levou o corpo para o local. No dia seguinte ele retornou ao local, abriu uma vala de cerca de 40 centímetros,a ateou fogo e enterrou o corpo. [VIDEO]

De acordo com o delegado Antônio André Santos Júnior, Alan mostrou extrema frieza durante o caso, tendo inclusive ido com a família até a delegacia registrar queixa do desaparecimento da jovem. As investigações apontaram ainda que no mesmo dia que ele colocou fogo no corpo da vítima, ele teria ido passear no shopping com os dois filhos e sua ex-mulher. Câmeras do centro de compras registraram ele caminhando tranquilamente pelo local.

Não perca a nossa página no Facebook!