Nesta terça-feira (25), foi registrado uma notificação no Hospital Albert Einstein, na zona sul paulistana, com um caso de suspeita de confirmação do coronavírus (Covid-19). A investigação esta sendo feita pelo Ministério da Saúde, juntamente com as secretarias estadual e municipal de São Paulo. O paciente é um homem de 61 anos que viajou à Itália entre os dias 9 e 21 de fevereiro. Após a confirmação pelos órgãos, o caso foi enviado para o Instituto Adolfo Lutz para realizar a contraprova.

Assim que o paciente deu entrada no hospital, foram realizados os procedimentos necessários a prevenção, coleta de amostras e testes que detectam vírus respiratórios, tanto os comuns como o Sars-CoV2, de acordo com as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

No momento, o processo de validação da positividade do coronavírus está em curso e o Ministério da Saúde aguarda respostas para enfim divulgar o laudo final. Por enquanto, a pasta recomenda cautela nas divulgações que não sejam oficiais, visto que a investigação ainda não está concluída.

Os sintomas iniciais que o paciente sentiu foram febre, tosse seca, dor de garganta e coriza, que também fazem parte dos sintomas do coronavírus Covid-19.

Até o pressente momento, a SES/SP e a SMS/SP estão investigando e identificando os contatos do domicílio, hospital e voo juntamente com a Anvisa e a companhia aérea que tiveram contato com o paciente em questão, segundo interpretação da nota divulgada pelo Ministério da Saúde.

Na cidade de São Paulo, há três casos que estão sendo monitorados, bem como um caso na cidade de Bauru, interior de São Paulo. Em todos os casos, os pacientes fizeram viagem para o exterior. Em todos os casos, as orientações é de que os familiares tomem as precauções cabíveis como o não compartilhamento de objetos de uso pessoal, bem como utilizar máscaras e fazer a higienização das mãos constantemente.

Pânico na Itália

O Ministério da Saúde da Itália, divulgou um decreto em que cancelou eventos na região da Lombardia e solicitou que os cidadãos se recolhessem em suas casas de forma voluntária, de modo a evitar lugares superlotados. As medidas extraordinárias são válidas até dia 1º de março. Enquanto isso, as cidades afetadas pelo surto fecharam 5.500 escolas, creches, cinemas, teatro e museus, além da suspensão do Carnaval de Veneza.

Segundo informações, as ruas estão vazias.

De acordo com o Estadão, os principais pontos turísticos de Milão estão vazios. O Governo também proibiu o deslocamento para o exterior. Salvo no caso dos jogadores do Barcelona que viajaram a Nápoles, mas que tiveram suas temperaturas medidas por médicos locais, a fim de prevenir a cidade e seus jogadores. Estão mantidas apenas o jogo do Barcelona, as demais modalidades de esportes foram suspensas no país.

Não perca a nossa página no Facebook!