O coronavírus fez sua primeira vítima fatal no Brasil. Na manhã desta terça-feira (17), foi confirmada pelo governo de São Paulo a morte de um paciente de 62 anos que estava internado em uma instituição particular. Ele sofria de diabetes, hipertensão e hiperplasia prostática.

Não foi revelada a cidade em que ele morava e nem se havia feito contato com alguém infectado ou se havia feito viagem recente ao exterior.

Casos de coronavírus em SP e no país

Na manhã da última segunda-feira (16), a Secretaria Estadual de Saúde havia informado que no estado eram 152 caos da doença em território paulista, além de 1.777 casos suspeitos.

De acordo com dados da Secretaria de Saúde de todas as unidades da federação, o Brasil já possui 301 casos de coronavírus confirmados. Em todo o Brasil, de acordo com dados do Ministério da Saúde, haviam 234 casos confirmados.

O governo do estado São Paulo avalia ainda que o surto de coronavírus deve durar no estado de quatro a cinco meses, mas a suspensão de aulas e de eventos de toda a natureza não deve preencher todo esse período.

Coronavírus faz SP decretar estado de emergência

Por conta do aumento do número de pessoas infectadas com o coronavírus na cidade de São Paulo, o prefeito Bruno Covas decretou estado de emergência na capital paulista.

O decreto foi publicado na edição desta terça-feira (17) do Diário Oficial.

O decreto prevê que o poder público poderá requisitar bens de serviços de pessoas jurídicas e naturais com pagamento de indenização justa posterior. Outro ponto do decreto é a dispensa de processo licitatório para aquisição de serviços e bens destinados ao combate da emergência.

Outra medida tomada pelo prefeito foi a suspensão do rodízio de veículos por tempo indeterminado, também a partir desta terça-feira.

Ainda de acordo com Covas, servidores municipais com mais de 60 anos de idade e aqueles que estão fazendo quimioterapia poderão trabalhar em suas casas. Além disso, todo o final de linha, os ônibus de transporte coletivo passarão por processo de higienização.

Perda na arrecadação por causa do coronavírus

De acordo com o prefeito Bruno Covas, por conta de todos os problemas causados pelo coronavírus, a cidade de São Paulo deve perder cerca de R$ 1,5 bilhão em arrecadação de impostos somente neste ano.

Ele diz que esse montante refere-se apenas à receitas de ISS, ITBI e outros impostos que deixarão de entrar nos cofres da cidade. Ele admite que poderá haver retração no produto Interno Bruto (PIB), que impactará na cidade.

Covas revelou ainda que donos de shoppings, cinemas, bares e restaurantes estão sendo chamados para achar uma solução que vise diminuir o prejuízo de todos os lados. “Todo mundo vai perder”, disse o prefeito.

Não perca a nossa página no Facebook!