Em entrevista coletiva, concedida na tarde deste sábado (21), no Palácio dos Bandeirantes, o Governador de São Paulo, João Dória, acompanhado do prefeito de São Paulo, Bruno Covas, decretou quarentena em todo estado. A medida entrará em vigor na próxima terça-feira (24) e valerá até o dia 7 de abril, e visa conter o avanço do coronavírus.

Com o decreto, o funcionamento do comércio ficará restringido e apenas serviços essenciais, como os da área de saúde, serão mantidos. Tal medida poderá ser renovada, estendida ou suprimida.

Ainda de acordo com o governador, a medida não afeta a indústria.

Dória disse ainda que se for preciso a força policial será usada para evitar aglomerações e repudiou que ainda insiste em promover festas. “Nenhum interesse econômico pode estar acima do interesse social de saúde” falou o chefe do executivo estadual. “Vamos adotar medidas policiais para evitar bailes funks”, declarou.

O que pode funcionar

Bares, restaurantes e cafés deverão fechar, mas poderão manter sua atividades por meio de delivery.

Padarias ficarão proibidas de comercializar alimentos preparados em seus interiores. Serviços de saúde humana e veterinária, abastecimento e segurança, enquadrados como essenciais, seguirão funcionando. “Delivery é uma forma criativa de seguirem funcionando e manterem os empregos”, disse o governador

Hipermercados, açougues e padarias (desde que não comercialize produtos fabricados no local) poderão funcionar também, desde que sigam as orientações dos sanitaristas.

Assim como armazéns, postos de combustíveis, bancas, pet shops, apps e transporte público.

Todo o sistema de segurança privada seguirá funcionando, assim como a coleta de lixo. Lotéricas, telemarketing e bancos também seguirão funcionando, assim como as obras na construção civil.

Número de mortos chega a 18

Um novo balanço das secretarias estaduais de saúde, divulgado no início da tarde deste sábado (21), elevou para 18 o número de pessoas mortas no Brasil em decorrência do coronavírus.

Desse total, 15 vítimas fatais são do estado de São Paulo e os outras três no Rio de Janeiro.

Já o número de casos confirmados rompeu a barreira dos mil, atingindo 1.021 testes positivos. Apenas em território paulista são 396 casos confirmados.

Na sexta-feira (20), o ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, havia informado que todo o país está sob status de transmissão comunitária. Isso significa que não é mais possível rastrear de onde partiu a transmissão. Antes, apenas São Paulo e Pernambuco tinham casos de transmissão comunitária.

O ministro previu ainda que se houver uma explosão dos caos no país, o sistema de saúde entrará em colapso em abril.

Não perca a nossa página no Facebook!