Foi determinado pela Justiça Federal do Distrito Federal que o Hospital das Forças Armadas (HFA) revele à Secretária de Saúde do DF os nomes de todos que foram diagnosticados com o novo coronavírus. O hospital é o mesmo em que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e parte da sua comitiva fez teste depois da viagem aos Estados Unidos. Ao menos 22 pessoas estiveram em contato com a comitiva nos Estados Unidos são portadores do vírus.

O presidente da República Jair Bolsonaro alega que dois exames já deram negativo, porém o líder do Executivo se recusa em apresentar os exames.

A decisão foi tomada na sexta-feira (20), ela é o resultado de uma ação movida pelo Governo do DF. O pedido do Executivo local informa que o hospital negou-se a divulgar a lista de pessoas que foram diagnosticadas no HFA.

Multa diária

A juíza Raquel Soares Chiarelli, da 4ª Vara Federal Cívil do Distrito Federal, determinou multa de R$ 50 mil por cada paciente que a informação for negada. O valor será cobrado diretamente do diretor do hospital, de acordo com a juíza, o diretor da unidade também pode responder de forma administrativa e penal.

A magistrada alegou para sua decisão que a identificação dos casos que deram positivo para a COVID-19 é fundamental para sejam definidas políticas públicas para que seja enfrentada a pandemia.

Para a juíza, não é justificado por parte da União que estas informações sejam negadas ao Distrito Federal, que de acordo com ela, tem a competência constitucional de coordenar e também executar ações e serviços de vigilância de epidemias em seu território, informou a juíza Raquel Soares Chiarelli.

Testes no Hospital das Forças Armadas

Foi a partir do diagnóstico positivo para o novo coronavírus de Fábio Wajngaraten, o secretário de Comunicação Social, que as pessoas que estiveram em contato com Jair messias Bolsonaro durante a viagem aos Estados Unidos começaram a fazer os exames para a COVID-19.

Entre as pessoas que tiveram material recolhido para passarem por testes no Hospital das Forças Armadas estão: Jair Messias Bolsonaro; o general Augusto Heleno, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI); a primeira-dama Michelle Bolsonaro entre outros.

Embora 22 integrantes da comitiva presidencial tenham sido diagnosticados com o novo coronavírus, a maior parte da comitiva teve resultado negativo, entre eles estão o presidente e a primeira-dama; o filho “03” do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP); o ministro das Relações Internacionais, Ernesto Araújo; o governador do Paraná, Ratinho Júnior (PSD) e o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!