Durante a tarde do último sábado (14), o pastor Silas Malafaia usou a sua conta do Twitter para fazer uma declaração polêmica e para contrariar as instruções do Ministério da Saúde sobre a pandemia de coronavírus.

Durante a postagem, Malafaia questionou as recomendações ligadas à prevenção da disseminação da Covid-19, doença respiratória causada pelo coronavírus.

A atitude que gerou toda a polêmica envolvendo o nome do pastor está ligada à publicação de um vídeo. Na filmagem, Silas Malafaia aparece incentivando as pessoas a continuarem indo à igreja.

Entretanto, a recomendação o Ministério da Saúde é que a população brasileira faça quarentena e somente deixe a sua casa quando for um caso de necessidade.

De acordo com o UOL, o vídeo possui cerca de 15 minutos de duração. Nesse tempo, Malafaia aborda vários tópicos diferentes e convida os seus seguidores a fazer uma oração junto dele.

Na filmagem, é possível ver o pastor pedindo a Deus para que o coronavírus não se espalhe no território nacional. Ele pede ao seu público para que repita juntamente com ele as palavras ditas durante o vídeo.

Entre os pedidos do pastor a Deus está a “destruição” do coronavírus o território nacional e que ele “não traga desgraça” para o Brasil.

Essa postura por parte de Silas Malafaia acabou rendendo críticas na internet. Nesse sentido, uma pessoa chegou a responder para o pastor que o momento pede que aglomerações sejam evitadas pelas pessoas como forma de frear o contágio.

Além do internauta, quem também opinou a respeito do vídeo foi Wanderson Oliveira, secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde.

Sobre o assunto citado, Wanderson reafirmou a necessidade de tomar os cuidados básicos indicados pelo ministério como forma de evitar a propagação do coronavírus.

Mais sobre o polêmico vídeo

Ainda no início da filmagem citada, Silas Malafaia aparece afirmando a importância de que as igrejas estejam constantemente de portas abertas para os seus fiéis e afirmou que a sua não será fechada durante o período de quarentena.

De acordo com o pastor, caso os governos insistam em fazer com que não se tenha mais transporte público e opte pelo fechamento de estabelecimentos comerciais, a igreja precisará continuar aberta para ser o “último reduto” de esperança das pessoas durante a calamidade. Malafaia ainda destacou que estará presente em sua congregação.

Ironicamente, apesar de aconselhar que o isolamento seja burlado, o pastor fez questão de destacar outras estratégias de prevenção ao longo do seu vídeo. Ele afirmou que a repercussão do coronavírus é uma “neura louca”.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!