A Secretaria Eastadual de Saúde do Rio de Janeiro afirmou que a paciente de 63 anos internada em estado grave com suspeita de coronavírus no Hospital Municipal Luiz Gonzaga, em Miguel Pereira, no sul Fluminense, morreu nesta terça-feira, porém ainda não é possível provar que ela foi vítima da Covid-19.

Ainda que a prefeitura de Miguel Pereira tenha publicado o falecimento de uma mulher com os mesmos sintomas da Covid-19, a Secretaria de Saúde deixou claro que o material da paciente está sendo analisado pelo Laboratório Central Noel Nutels (Lacen-RJ) e o resultado pode ser positivo ou negativo para o coronavírus.

Embora a paciente tenha tido contato com sua empregadora, que havia chegado da Itália e testou positivo para o coronavírus, ela também deu entrada numa unidade de saúde logo após sair do trabalho, mas a paciente não fazia parte da lista dos casos confirmados, segundo a Secretaria de Saúde, que ainda afirma que até o momento não há nenhuma confirmação de morte por consequência do vírus.

Portanto, a prefeitura de Miguel Pereira pede à população local que redobre os cuidados e atenção a qualquer sintoma, e dê ênfase e importância aos critérios definidos pela Secretaria Municipal de Saúde.

Primeira morte pelo novo coronavírus no Brasil

O governo de São Paulo informou nessa terça-feira (17) o primeiro caso no Brasil de morte de pessoa infectada pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2). De acordo com David Uip, o homem tinha 62 anos e teve os primeiros sintomas dia 10 de março, sendo internado quatro dias depois num hospital particular e diagnosticado com coronavírus, e que ainda existem quatro mortes neste mesmo local sendo investigadas.

Além disso, foi informado que o homem não havia realizado nenhuma viagem recentemente e que certamente é um caso de transmissão comunitária do vírus. Ele também tinha histórico de diabetes e hipertensão, além de hiperplasia prostática, o que o deixou mais vulnerável, portanto a atenção deve ser redobrada às pessoas mais idosas, pois estão muito mais suscetíveis ao vírus.

Sabe-se que a cada instante o índice de casos suspeitos tem aumentado, chegando a 164 em São Paulo, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, sendo que 156 foram confirmados estarem infectados com o coronavírus na capital e em mais oito municípios de São Paulo, isso de acordo com o G1.

Portanto, o governo estadual vai avaliar a nova recomendação da Organização Mundial da Saúde, pois na segunda-feira o governo havia informado que somente pacientes internados seriam submetidos a testes laboratoriais na rede pública, mas que, a partir da atual situação, todos os casos suspeitos do novo coronavírus serão submetidos a exames laboratoriais para mais eficácia no atendimento e na redução da propagação do vírus.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!