Estado que responde por maios da metade dos casos positivos e também pela maioria das mortes causadas pelo novo coronavírus, São Paulo registrou na última quarta-feira (8), uma taxa de isolamento social de apenas 49%, o que fez o governador João Doria endurecer o tom até ameaçar mandar para a cadeia quem descumprir as orientações. O índice que o governo estima ser o ideal para que não haja propagação do vírus é de 70%.

Por meio de dados da geolocalização de smartphones monitorados pelas quatro principais operadoras de telefonia o governo do estado monitora como está a adesão dos paulistas à quarentena.

Outra referência usada para detectar que a população te abandonado o isolamento social é a lentidão do trânsito. Na última quarta-feira (8), a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) havia registrado apenas três quilômetros de lentidão. Nesta quarta-feira passou para 13 quilômetros.

Na quarta-feira (8), várias aglomerações em bancos e comércios foram vistas na Grande São Paulo.

Governador ameaça prender

Incomodado com a “desobediência” do paulista, o governador João Doria decidiu ser mais incisivo no pedido para que a população se mantenha em quarentena. O tucano afirmou que se não houver consciência das pessoas neste final de semana, a partir da próxima segunda-feira (13), serão tomadas medidas mais drásticas caso o índice não volte à casa dos 60%.

“As pessoas poderão receber não só multa, advertência, mas também voz de prisão”, disse o governador ao telejornal SP2, da TV Globo. Ele disse que espera não precisar chegar a esse patamar, mas se isso acontecer será “pela preservação da vida”.

Poderia ser pior

Também nesta quinta-feira (9), o secretário de Saúde do Estado de São Paulo, José Henrique Germann, disse em uma entrevista coletiva que se não fosse pelo isolamento social havia dez vezes mais pacientes com a Covid-19.

Ele disse ainda que enquanto não houver um isolamento social em 50%, não será possível dobrar a curva.

Já o infectologista David Uip, já recuperado do coronavírus, disse que o isolamento social no estado estava em 54%, mas que era preciso que esse percentual chegasse a 70% para garantir que houvesse leito para todos.

Para ele, quanto mais conseguir achatar a curva, melhor será para o sistema.

Números no estado de São Paulo

De acordo com um boletim divulgado pela Secretaria de Saúde nesta quinta-feira (8), no Estado de São Paulo registrava 7.408 casos confirmados do novo coronavírus. Em todo o Brasil são 18.176 infectados. Já o número de mortos em território paulista chegou nesta quinta a 496 de um total de 957 em todo o país. Ou seja, mais da metade dos óbitos estão em São Paulo.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!