Depois de a quarentena no estado de São Paulo ter sido prorrogada pela segunda vez na semana passada, indo agora até o dia 10 de maio, o governo pretender adotar mediadas de flexibilização do comércio a partir do dia 11. A data é a segunda-feira seguinte ao Dia das Mães, celebração a qual o comércio tem maior movimento depois do natal.

No entanto, a autorização do funcionamento do comércio dependerá da situação específica de cada região ou cidade. Falando ao blog da Natuza Nery, o governador João Doria (PSDB), disse que até 10 de maio nada irá mudar após essa data e que a flexibilização será feita de forma gradual.

“Será faseado (em etapas). Tudo amparado na ciência”, declarou o chefe executivo paulista.

O governador lembrou que o estado possui 854 mortes (na tarde desta segunda o número subiu para 1.037) e que alguns hospitais públicos estão perto do limite. Segundo ele, para reabrir o comércio e os serviços é necessário ter o sistema de saúde em condição de atendimento para salvar vidas.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) fez um pedido para que as pessoas fiquem em casa durante o feriado prolongado de Tiradentes. “Por enquanto, o isolamento social é o melhor remédio que temos”, falou o prefeito paulistano.

O que pode funcionar durante a quarentena

Com o funcionamento do comércio restrito até o próximo dia 10 de maio, alguns setores considerados essenciais podem continuar funcionando e devem tomar todas as medidas de prevenção.

Dentre esses serviços autorizados a seguirem funcionado estão supermercados, açougues, farmácias, petshops, bancas de jornais, armazéns, deliverys, postos de combustíveis e padarias. No caso das padarias não é permitido o consumo dentro dos estabelecimentos.

Transportes coletivos, táxis, transporte por aplicativos e transportadoras também estão liberados para funcionar, assim como bancos, lotéricas, correspondentes bancários, fábricas e clinicas odontológicas.

Até o dia 10 de maio deverão permanecer fechados lojas, shopping, galerias, casas noturnas, academias de ginástica, escolas, faculdades e local para eventos, como salão de festas. Bares, restaurantes e cafés também deverão seguir fechados, mas podem atender por meio de delivery.

Casos no estado de São Paulo

O último balanço da Secretaria de Saúde, divulgado na tarde desta segunda-feira (20), apontou que o estado de São Paulo possui 14.580 casos confirmados do novo coronavírus e o número de vítimas fatais havia subido para 1.307.

A pasta ainda informou que em todo o estado há 6.032 pessoas que testaram positivo internadas em hospitais.

Ainda de acordo com a secretaria, 78,2% das mortes são de pacientes com 60 anos ou mais, que são considerados do grupo de risco. Dentre os mortos, 614 eram homens e 423 eram mulheres.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!