Nessa quarta-feira (20), os pilotos responsáveis pelo helicóptero da Coordenadoria de Recursos especiais (Core), da Polícia Civil do Rio de Janeiro, que levaram o menino João Pedro Matos serão ouvidos a respeito do caso em questão. As informações foram divulgadas pelo jornal O Globo.

De acordo com a publicação citada anteriormente, os depoimentos serão tomados na Delegacia de Homicídios das cidades de Niterói e São Gonçalo. Conforme O Globo, Allan Duarte, o delegado responsável pela investigação da morte de João Pedro, deseja ouvir os detalhes referentes à operação feita ainda na última segunda-feira (18) que culmino no óbito do jovem em questão.

É válido destacar que Duarte chegou a declarar para o jornal citado que os pilotos seriam ouvidos entre quarta e quinta-feira dessa semana e pontuou que, de início, eles chegaram a afirmar que seguiram um protocolo padrão, referente a uma decisão que foi adotada já em campo. Entretanto, a Polícia Civil visa investigar qual seria o protocolo citado pelos policiais envolvidos no caso e a quais fatores ele estaria ligado.

Conforme as declarações de Allan Duarte para O Globo, tais protocolos podem estar ligados às limitações do helicóptero ou ainda às questões de autorização do espaço aéreo. Também não é possível destacar ainda a possibilidade de que a adoção dessa medida esteja ligada a questão de combustível.

Os detalhes do caso de João Pedro Matos

É possível destacar que João Pedro Matos foi morto ainda na última segunda-feira (18). Na data citada, uma operação da Polícia Civil, realizada em conjunto com a Polícia Federal, aconteceu no Complexo do Salgueiro, localizado em São Gonçalo, região metropolitana do Rio de Janeiro.

Entretanto, os familiares do jovem somente encontraram o seu corpo na terça-feira (19), após serem informados de que João Pedro estava no Instituto Médico Legal (IML).

De acordo com informações fornecidas pelo site UOL, que chegou a entrar em contato com os familiares e amigos de João Pedro, o rapaz estava brincando no quintal de sua casa com um tio quando a casa de sua família foi invadida pelos policiais.

Na ocasião, ele foi atingido por um disparo na barriga.

Entretanto, a versão dos fatos descrita pela polícia entra em discordância com o relato dos familiares do jovem. Segundo os envolvidos na operação, o rapaz foi atingido durante uma troca de tiros com bandidos. O helicóptero, por sua vez, teria prestado socorro a João Pedro na ocasião descrita, ao invés de ter sido usado para sumir com o corpo do garoto, conforme algumas especulações que surgiram após João Pedro ser encontrado no IML.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!