Na última semana, Jair Bolsonaro causou mais uma polêmica com o anúncio de que o Ministério da Saúde iria mudar o formato de divulgação de dados sobre o coronavírus no Brasil. Uma mudança que teve o dedo direto do presidente da República.

O jornal O Estado de S. Paulo divulgou nesta segunda-feira (8), que Bolsonaro atuou para exigir que os números divulgados pelo Ministério de Saúde sobre os mortos pela Covid-19 não ultrapassassem mil por dia.

Pazuello seguiu ordens do chefe

A ordem veio da Presidência direto ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Para tentar cumprir a ordem do Planalto, a alteração veio da seguinte forma.

Os números dos óbitos confirmados nas últimas 24 horas foram separados dos dados de outros dias, mas que seriam apenas confirmados no período.

No caso, as mortes que aconteceram em outras datas, mas não entram na taxa de mortes diárias e nem nas taxas gerais, o governo decidiu não mais divulgar o histórico de dados sobre as mortes pela Covid-19 na página destinada a divulgar todos os números da doença.

Curiosamente, os atrasos na divulgação dos números aconteceram em dias em que o Brasil superou os mil mortos pela doença. Em entrevista, Bolsonaro afirmou que a mudança no horário da divulgação seria para evitar que estes fossem divulgados no "Jornal Nacional", da Rede Globo.

Bolsonaro desconfia de números

A origem da estratégia veio, segundo o jornal, de um vídeo de Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan e apoiador de Jair Bolsonaro.

Segundo Hang, afirmar que país teve mais de mil mortos num dia por causa do coronavírus não significaria a "realidade".

Outro pronunciamento feito neste sentido veio de Carlos Wizard. O empresário, que seria secretário do Ministério da Saúde, mas desistiu do cargo, teria indicado que estados estariam "inflando" dados sobre mortos e casos da doença para conseguir verbas públicas.

Uma outra postura de Bolsonaro também teria contribuído para a mudança na divulgação: o fato do presidente querer mostrar que o Brasil não estaria sofrendo com a doença como vem sendo divulgado e usar os números para ataques à imprensa, que tem sido um de seus grandes alvos.

Site ficou fora do ar

Na última sexta-feira (5), o site do Ministério da Saúde que divulgava dados do coronavírus ficou fora do ar por cerca de 19 horas.

Quando voltou ao ar, a página passou por modificação no modo como os dados eram apresentados.

Apenas os casos novos eram mostrados na página, com números como casos consolidados e todo o histórico de casos de Covid-19 no Brasil não constando na página. A medida do governo Bolsonaro foi bastante criticada e órgãos de imprensa decidiram se unir para buscar em secretarias estaduais os dados sobre a doença e compilá-los para divulgação.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!