A morte do menino Miguel, de 5 anos, causou revolta e tristeza em muitos brasileiros. A mãe do menino teve que levá-lo para o trabalho e o mesmo caiu de uma altura de mais de 30 metros de um prédio no Recife. Mirtes de Souza era doméstica da família do prefeito de Tamandaré e, ao sair para passear com o cachorro da família, deixou a criança com a patroa.

Morte do menino Miguel

O acidente que culminou com a morte do pequeno Miguel ocorreu no dia 2 de junho, em um prédio de luxo no Recife. Mirtes teve que descer com a cadela da família por um tempo e deixou o filho sob os cuidados da patroa, Sari Corte Real.

As imagens de segurança mostram o menino entrando correndo em um elevador e, após conversar com a criança, Sari deixa o menino sozinho e o mesmo desce no nono andar, de onde caiu após subir em uma grade de proteção de aparelhos de ar-condicionado.

No último domingo, o "Fantástico", da Rede Globo, mostrou novas imagens de segurança que mostram o desespero da mãe do menino ao ver seu filho caído ao chão. As imagens mostram também que antes de deixar o menino no elevador, Sari já tinha tirado o menino do aparelho outras quatro vezes. Apesar de ter sido socorrido, Miguel não resistiu aos ferimentos e faleceu em uma unidade de saúde.

Mãe de Miguel desabafa sobre morte do filho

Mirtes Renata voltou a falar sobre a morte de Miguel, seu filho único, e revelou como seus dias estão sendo difíceis.

A mulher contou que ainda não conseguiu parar para viver o luto do filho. Segundo a mesma, durante o dia ela fica mais tranquila, mas que à noite é o momento que mais dói.

A mulher relembrou que quando chega à noite não tem o filho para pedir o "gagau", que era de lei todos os dias, e que dói olhar para a cama do menino e ver que ele não está mais ali.

Mirtes disse que espera que tudo isso se resolva rapidamente. A empregada disse que não imagina como será a sua vida sem o seu "neguinho" e que todos os seus planos e sonhos morreram junto com Miguel. Segundo a mulher, quando o filho morreu, a sua vida acabou ali, foi destruída, que não foi só a vida do filho, mas a dela e a da sua mãe.

Rotina de Mirtes após a morte de Miguel

A mãe do menino disse que cada momento de sua rotina traz a saudade e as lembranças do filho. Ela contou que teve que ir a uma lotérica para pagar as contas e que ao subir a ladeira lembrou do filho, que toda vez que subia com ela batia no portão de um vizinho, que dizia que ia pegá-lo e ele dizia que não ia pegar nada.

“Acordar sem ter o neguinho, olhar para dentro de casa e não ter ele... Não tá dando, não. Não tá dando, não”, disse. A mulher ainda relembrou de um sonho que o filho tinha de andar de barco. Ela contou que toda vez que o menino ia no apartamento onde trabalhava, ele olhava os pescadores e dizia que queria andar nos barquinhos.

A mulher lamentou e disse que ela e sua mãe planejaram tanta coisa para o futuro do filho, mas que tudo acabou naquele dia e terminou dizendo: "Sari acabou com a vida do meu filho e com a minha", disse Mirtes.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!