Uma história de dor, mas ao mesmo tempo de recomeço, ocorreu na última semana com uma família de São Francisco de Itabapoana, no norte Fluminense. Um acidente tirou a vida de um rapaz de 34 anos, e seu rim acabou sendo doado para a própria mãe, que há mais de dez anos esperava em uma fila de transplantes, trazendo uma grande surpresa para a família.

O acidente que tirou a vida do rapaz

Magno Monteiro de Oliveira saiu de casa na noite de domingo (12) pilotando uma moto, e na madrugada do dia 13 a família ficou sabendo que o rapaz havia sofrido um acidente. O homem foi levado para um hospital em Ponto de Cacimbas e depois transferido para Campos, mas não resistiu aos ferimentos e no dia 15 e teve sua morte encefálica confirmada.

Isabela Monteiro, irmã do rapaz, contou que eles ficaram muito abalados quando souberam da morte de Magno e que, ao serem questionados se os órgãos do rapaz poderiam ser doados, eles pensaram logo na mãe da família, que precisava de um rim. Isabela contou que eles ficaram sem chão quando os médicos informaram que isso não era possível, pois o procedimento era sigiloso e seguia regras.

Irmã pensou em não doar os órgãos do rapaz

Isabela confessou que ao saber que a mãe teria que continuar na fila e que não poderia ser escolhida para receber o órgão do seu irmão, pensou em não autorizar a doação dos órgãos do rapaz. Ela disse que foi surpreendida com o que sua mãe Maria Isabel disse.

A moça contou que falou para a sua mãe sobre a morte de Magno e que precisavam decidir sobre a doação, mas que não poderia ser diretamente para ela.

Isabela contou que ficou egoísta naquele momento, mas que sua mãe a emocionou ao dizer que a tristeza delas seria a alegria para outras pessoas mas que, um dia, a tristeza de uma família seria a sua alegria.

A jovem contou que, depois disso, resolveram pela doação dos rins, fígado e coração do homem, salvando com isso pelo menos quatro pessoas.

O que eles não imaginavam é que a vida surpreenderia a todos e os rins do rapaz seriam doados para a sua própria mãe.

Mulher recebe notícia sobre doador e se surpreende

Eram 23h30 horas de quinta-feira (15) quando Maria Isabel dos Santos Monteiro Oliveira, de 65 anos, paciente renal grave que esperava por um transplante há dez anos, recebeu uma ligação do hospital.

Eles informaram que a mulher tinha sido selecionada para a realização do transplante e que tinha que passar por uma triagem.

Outras cinco pessoas também foram chamadas para realizarem a triagem, mas Maria Isabel foi a escolhida devido ao nível alto de compatibilidade de 100%. Foi aí que a família começou a pensar que o órgão poderia ser de Magno. Segundo Isabela, a confirmação só veio quando os médicos informaram para a mulher que o rim era de um rapaz de 34 anos que teve morte encefálica em Campos dos Goytacazes.

Eles ficaram sabendo que, naquele dia, essa era a única captação de órgãos e tudo batia com as informações exatas do rapaz. Então descobriram que o rim era de Magno. O transplante foi realizado na última sexta-feira (17) e durou três horas.

A família contou que o rapaz já tinha oferecido doar um rim para a mãe há alguns anos, mas que a mulher não aceitou pelo filho ser muito novo e não quis que ele fosse submetido a esse tipo de procedimento. Isabela contou que a cirurgia foi um sucesso e que o momento é de perda, por algo que não tem como voltar, mas dessa experiência difícil, Deus tinha um plano lindo. Luiz Cosmelli, psicólogo do programa de transplantes, disse que essa história é excepcional, rara e também muito emocionante.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Siga a página Maternidade
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!