Nesta sexta-feira (24), o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, anunciou que o Carnaval de 2021 está adiado devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Portanto, as escolas de samba e os blocos de carnaval de rua não poderão desfilar no mês de fevereiro do próximo ano.

A reunião que definiu a decisão aconteceu nesta quinta-feira (23). Nela estavam o prefeito Covas e a Liga das Escolas de Samba de São Paulo, onde foi debatida e justificada a nova data para o desfile das escolas. A princípio a Liga sugeriu que o evento acontecesse em maio. Contudo, a decisão mostra a inviabilidade da realização do evento no próximo ano.

Covas afirmou que a reunião foi positiva, pois todos os envolvidos entenderam a inviabilidade de organização do Carnaval neste momento em que o estado e o país vivem a crise sanitária provocada pelo vírus.

A pandemia do novo coronavírus tem provocado consideravelmente uma crise na economia do país e, com o adiamento do carnaval de São Paulo, é provável que haja um reflexo negativo na economia, já que o evento é responsável por movimentar aos cofres da cidade cerca de R$ 2,75 bilhões.

Cancelamento da Parada LGBTQIA+

No anúncio foi informado também que a parada LBTQIA+ presencial, com edição programada para 2021 sofreu adiamento e poderá acontecer somente em novembro do ano que vem.

Em relação à Parada do Orgulho LGBTQIA+ que aconteceria em 29 de novembro, Covas afirmou o consequente cancelamento.

A parada era para acontecer no mês de aniversário do movimento, em junho, mas devido à pandemia do novo coronavírus o evento aconteceu virtualmente. Uma das homenagens foi a iluminação em cores da avenida Paulista, em respeito a ausência de seus participantes.

Cancelamento da Marcha para Jesus

Outro evento que estava para acontecer em junho era a Marcha para Jesus, que devido à pandemia precisou ser cancelada e foi substituído por uma carreata.

O evento acontece anualmente desde 1993 no feriado de Corpus Christi, e é considerado o maior movimento evangélico do Brasil. Em 2019, o presidente Jair Bolsonaro esteve no evento e se tornou o primeiro presidente do Brasil a participar da Marcha.

Brasília cogita cancelar o Carnaval de 2021

O Carnaval de Brasília acontece há 45 anos, mas no próximo ano é provável que não aconteça em decorrência da pandemia da Covid-19.

Para a Liga de Blocos Tradicionais do Distrito Federal, a falta da vacina para a Covid-19 impossibilita que seja promovido o evento.

Segundo o presidente da Liga, Paulo Henrique Oliveira, o Carnaval é um meio eficaz de transmissão da Covid-19 em massa. O risco da super propagação é incalculável por ser maior aglomeração festiva do mundo, onde o contato físico é inevitável.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!