O caso da menina de São Mateus, no Espírito Santo, que engravidou após anos sendo abusada pelo tio, levantou grandes polêmicas nas redes sociais nos últimos dias e revoltou muita gente. O caso veio à tona quando, no dia 8 de agosto, a menor foi levada a um hospital com dores abdominais e exames confirmaram sua gravidez. Somente neste momento, ela revelou que há quatro anos era abusada pelo tio, que fazia ameaças para que ficasse calada.

Justiça autorizou aborto na menina

A justiça capixaba autorizou no dia 14 de agosto que fosse realizado um procedimento para interromper a gravidez da menina, e ela foi levada para Recife, em Pernambuco, onde o procedimento foi realizado na última segunda-feira (17).

Manifestantes religiosos foram até a porta do hospital, após o local e os dados da vítima serem divulgados por Sara Winter, tentando impedir que o aborto fosse realizado na menina.

Muitas pessoas usaram seus perfis para dar a opinião sobre o aborto, ao qual a menina foi submetida após ser abusada sexualmente pelo tio, que se encontra preso, mas o de um padre do Mato Grosso gerou revolta nos internautas. No dia seguinte ao aborto, o Padre Ramiro José Perotto, de Carlinda, compartilhou uma mensagem de Dom Walmor lamentando a interrupção da gravidez da menina e a polêmica ocorreu nos comentários da publicação.

Padre revolta ao falar sobre menina

Diversas pessoas usaram a postagem do padre para comentar a posição da igreja sobre o caso e fizeram críticas.

Uma internauta disse que obrigar uma criança, que foi vítima de abuso, a seguir com uma gravidez era repugnante, chamando de hipocrisia.

O padre então comentou à seguidora, e questionou se ela acreditava na inocência da menina e se acreditava em "papai noel" também. O religioso disse que se ela tinha 6 anos, e foi abusada por 4 anos sem dizer nada, era porque gostava: "Claro que estava gostando", e ainda completou: "Gosta de dar, então assuma as consequências".

Padre exclui conta e pede perdão

Após a repercussão da sua fala, o padre Perotto foi até o ser perfil na quinta-feira (20) e lançou uma nota pedindo perdão pelo comentário. Ele disse que assumia a responsabilidade pelas palavras que proferiu e que compartilhava com a defesa da vida, em não condenar e julgar as pessoas.

Segundo o padre, ele não teve intenção de dizer palavras de baixo calão, que não comungam com sua fé e crença no ser humano. Em seguida, ele pediu perdão a todas as pessoas que se sentiram ofendidas pelo que disse.

O padre falou que ia excluir sua conta no Facebook pois não queria mais ofender ninguém, nem ser ofendido. Ele disse que as pessoas precisam ser fraternas e que sempre pregou isso, e que Deus o perdoe pelas vezes em que não foi. Ele encerra pedindo que lutemos pela vida, que é dom de Deus.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Siga a página Maternidade
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!