O mundo está enfrentando uma situação nunca vivida, após a chegada do novo coronavírus. A doença causa sintomas parecidos com o de uma gripe forte e, por isso mesmo, muitas pessoas estão procurando unidades de saúde ao apresentar os sintomas.

Jovem denuncia médico após consulta

Uma Mulher de 29 anos procurou o Centro de Combate ao Coronavírus da cidade de São Vicente, no litoral de São Paulo, após apresentar sintomas parecidos com o da covid-19. Ela saiu de lá para uma delegacia da mulher, para denunciar o médico que a atendeu por importunação sexual.

Vivian Herculano Salvatore contou ao G1, nesta terça-feira (11), que após passar mal resolveu procurar o local de atendimento da prefeitura exclusivo para pessoas com sintomas de coronavírus.

Ela contou que foi atendida por um médico que começou a questionar sobre os passatempos dela.

Vivian, que é recepcionista, contou que o profissional disse que ela não estava com Covid-19, mas sob efeito de estresse e foi aí que ele começou a perguntar o que ela fazia para desestressar. Mesmo estranhando, ela falou que tinha deixado de fazer o que gostava, como ir à praia, por causa da pandemia, e ele teria dito que ela precisava relaxar.

O médico pediu que ela fizesse um raio-x e, quando voltou para o consultório, ela encontrou a porta entreaberta. O médico então teria dito que ela só estava estressada e que para desestressar ela precisava de oportunidade, coragem e vontade.

Mulher é assediada pelo médico

Ela conta que neste momento começou a perceber a intenção do médico, pois ele estava falando em tom mais baixo.

O homem teria dito para ela que a oportunidade ela tinha naquele momento e perguntou se estava faltando coragem ou vontade.

Vivian disse que o médico levantou da mesa e parando na frente dela perguntou se ela não tinha coragem e que só precisava fechar a porta. Ela disse que ele ainda questionou se ela não tinha vontade de sentir o calor humano, um abraço e se isso não a desestressava.

Segundo a mesma, assim que o médico chegou perto dela, ela levantou e saiu do consultório, mas ainda ouviu ele dizer que ela precisava desestressar. Ela contou que pensou em ir embora, mas que procurou a direção do local e denunciou a atitude do médico. A mulher foi orientada pela direção do hospital a procurar a polícia e realizar uma ocorrência, e o caso está sendo investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher da cidade.

Em um desabafo, Vivian disse que era uma sensação de medo e que no momento não teve forças para reagir ao assédio.

"É uma sensação de medo. A gente não tem forças para reagir àquilo", disse. Ela falou que não quer ver outras pessoas passando pela mesma situação que passou ou até mesmo de forma pior. Para ela, se o médico não for parado, ele continuará fazendo a mesma coisa. Vivian disse que jamais imaginou passar por esse tipo de situação em um hospital, ainda mais vindo de alguém que era para cuidar das pessoas.

A Prefeitura de São Vicente informou que o médico foi afastado das suas funções logo após a denúncia realizada pela recepcionista e que o caso está sendo apurado pelas autoridades competentes.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!