Nos últimos dias alguns padres estão causando polêmicas nas redes sociais com suas falas sobre temas sensíveis. Primeiro foi um religioso que ao comentar o caso da menina que engravidou após ser abusada por anos pelo tio.

Ele disse que a menina estava gostando dos abusos e que por isso devia aguentar as consequências, falando em relação ao aborto que foi autorizado pela justiça, mas que a igreja católica era contra. Dias depois, o padre usou seu perfil para se desculpar com as pessoas que se sentiram ofendidas e optou por excluir seu perfil no Facebook alegando que não queria mais ser atacado por ninguém.

Padre deseja morte a fiéis

O caso desse novo padre ocorreu em Visconde do Rio Branco, em MG, quando ao final de uma missa no último domingo (23), o religioso desejou a morte de fiéis que não estavam indo às missas por causa da pandemia do novo coronavírus.

A missa estava sendo realizada na paróquia de São João Batista e estava sendo transmitida ao vivo nas redes sociais. Tudo ocorreu durante os avisos finais e foi quando o padre Antônio Firmino falou os horários das próximas celebrações e disse que a igreja estava cumprindo as recomendações de distanciamento social.

O padre falou que nesse momento estavam vendo quem ama a eucaristia e falou que muitos católicos que tem saúde estavam falando que só iam à igreja quando tivesse uma vacina para a Covid-19.

Foi então que o religioso falou: "Tomara que não apareça vacina para essas pessoas. Ou que morram antes da vacina chegar". E disse que essas pessoas que não estavam no grupo de risco e falavam isso era porque não tinham fé nenhuma.

Padre pede desculpas

Nesta terça-feira (25), após grande repercussão negativa, um vídeo foi compartilhado no site da diocese de Leopoldina, comandado pelo bispo dom Edson Oriolo, onde o padre se desculpa pelo que falou no último domingo.

Na gravação, o pároco disse que sempre foi defensor da vida, desde o momento da concepção até o fim natural, como pede a doutrina da igreja. O padre chamou seu comentário de infeliz e pediu desculpas a todas as pessoas que se sentiram ofendidas ou machucadas com as suas palavras.

O padre Antônio disse ter certeza que as pessoas possuem um bom coração, a ponto de reconhecerem seu erro e o perdoar por isso. Ele pediu que os fiéis rezem por ele, pois é uma pessoa fraca, um pecador e que possui as suas misérias, e por isso mesmo precisa da misericórdia de todas as pessoas.

A assessoria da diocese de Leopoldina, responsável pela paróquia do padre Antônio, disse que dom Edson não se manifestaria sobre o assunto. A CNBB também não comentou o assunto, visto que a polêmica ocorreu no âmbito de uma diocese.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Religião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!