É muito triste quando vemos crianças e adolescentes correndo risco e passando por situações de violências, ainda mais quando é praticado pelos pais ou responsáveis. Um caso triste envolvendo um bebê de apenas 11 meses veio à tona neste último final de semana, em Belo Horizonte, Minas Gerais.

Bebê é levado para hospital em estado grave

A Polícia mineira está investigando o caso de uma criança que foi levada até uma unidade da PM, no bairro Céu Azul, no último sábado (19), à tarde. O pai do bebê, de 31 anos, chegou ao local com o menino nos braços pedindo ajuda aos policiais dizendo que o filho estava inconsciente e com uma lesão na cabeça. O homem contou que a mãe do menino havia caído em cima do mesmo.

Os policiais solicitaram reforço e levaram o menino até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Justinópolis. A criança recebeu os primeiros atendimentos e após ser entubada foi transferida para o Hospital João XXIII, onde foi internada em estado grave sob o acompanhamento do pai.

Polícia vai até a mãe, que conta que usou loló

Após proceder ao atendimento à criança, os policiais se dirigiram até a casa da família para investigar em que situações ocorreu o acidente com o bebê. Quando chegaram no endereço, um tio da mãe do menino permitiu que os policiais entrassem no local. Se encontrava no imóvel uma outra mulher que contou que viu quando o homem saiu com o filho nos braços buscando socorro para o mesmo.

Quando entraram no imóvel, os policiais de depararam com a mãe do menino, de 25 anos, sentada em um sofá, muito debilitada. A mulher falava com a voz embolada, totalmente grogue. Em conversa com os policiais, a mulher disse que tinha usado loló e que ficou tonta, vindo a cair sobre o filho.

Os policiais receberam a orientação de levar a mulher para a delegacia, mas devido ao seu estado de saúde, os mesmo passaram com ela na UPA Venda Nova.

Na unidade de saúde, uma testemunha contou ao parente da moça que o seu marido havia dado a ela um calmante com um copo de suco, o medicamento diazepam. O médico então disse que a única coisa a fazer seria hidratar a mulher e esperar o efeito da droga passar.

Diante da nova informação recebida pelos policiais, eles se dirigiram ao hospital onde o menino estava internado para questionar o companheiro da mulher sobre a situação.

O homem contou que possui receita médica para poder medicar a esposa com o remédio. Posteriormente, o homem também será levado a uma delegacia para prestar depoimento.

A ocorrência sobre o caso foi registrada nesta segunda-feira (21), na Delegacia de Plantão da Região Noroeste de Belo Horizonte e um inquérito foi instaurado para apurar os fatos. A Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente investigará o caso.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!