Mais um crime revoltante contra a mulher foi registrado no Rio de Janeiro. Foi encontrado nesta quinta-feira (10) o corpo de uma gestante de oito meses, que estava desaparecida desde a última quinta-feira (3). O corpo da mulher foi encontrado em uma região conhecida como Triângulo, em Deodoro, zona norte do Rio.

Corpo de manicure é encontrado

A manicure Thaysa Campos dos Santos, de 23 anos, despareceu após sair de casa por volta da meia-noite do dia 3. Segundo a Polícia, seu corpo foi encontrado amarrado, em uma região de linfa férrea, e tudo indica que sua morte já ocorreu há alguns dias, devido ao estado avançado de decomposição do corpo.

Um parente da mulher já fez o reconhecimento do cadáver.

Como Thaysa saiu de casa durante a noite e só havia uma chave do local, uma amiga que morava com ela teve que arrombar a fechadura da residência no dia seguinte para poder ir trabalhar. Segundo a delegada Ellen Souto, eles já sabiam que a grávida estava morta desde o dia em que desapareceu e que foi morta na Favela do Triângulo. A policial disse que as investigações continuam para que seja apurado quem foi o autor do crime, mas segundo ela, já existe uma linha de investigação definida.

Sobre a morte da grávida

A mãe de Thaysa, que mora em Brasília, mas que veio para o Rio de Janeiro para acompanhar as buscas pela filha, estava na delegacia no momento em que descobriram que o corpo da manicure havia sido encontrado.

A psicopedagoga Jaqueline Tavares Campos teve que tomar um calmante de uma parente. Elas estavam no local para prestar depoimento. A manicure foi criada em um conjunto junto com a irmã mais velha, Raíza, de 26 anos. A sua mãe mora em Brasília há 3 meses, mas na última semana esteve com as filhas e avisou que voltaria a morar com elas no Rio.

A manicure ficou muito feliz com a notícia, visto que estava desempregada.

Segundo o jornal Extra, existem duas informações que podem estar ligadas com a morte e desaparecimento da manicure. A mulher teria sido agredida há 15 dias e o pai do seu bebê seria um homem casado. Como já estava com oito meses de gestação, a manicure faria um chá de bebê no último domingo.

Segundo a mãe da vítima, ela estava muito feliz com a chegada da filha, que se chamaria Isabel e com o chá de bebê que seria no domingo.

De acordo com a mãe da vítima, ela estava comprando tudo para celebrar o momento. Jaqueline contou que no dia em que a filha desapareceu, ela tinha presentado a filha com uma cômoda, e a mesma chegou a arrumar as roupinhas do bebê no móvel. A manicure deixa outros dois filhos: Luma, de 7 anos, e Antônio, de 5 anos. As crianças moram com a avó paterna.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!