Uma chacina cometida contra uma família boliviana moradora de Cobija, município que faz fronteira com o Brasil, vem sendo investigada pela Polícia Civil do Acre. Três corpos foram encontrados na última segunda-feira (14), em um seringal da região, com marcas de tiros. Uma das vítimas, uma adolescente de 13 anos, sobreviveu ao ataque, acionou ajuda e até indicou a autoria do crime. Segundo ela, os suspeitos são brasileiros.

O crime aconteceu na manhã de domingo (13). De acordo com o inquérito policial, a adolescente de 13 anos foi vítima de violência íntima, crime que teria sido praticado por um brasileiro morador de Acrelândia, no Acre.

O crime teria acontecido enquanto o suspeito extraia madeira na propriedade onde a família morava na Bolívia. O pai da vítima teria flagrado o suspeito com a filha e desferido um golpe contra o brasileiro. Além disso, o boliviano ainda amarrou o suspeito de abuso em uma árvore, e em seguida, foi até a sede da cidade para acionar a polícia.

Suspeito estava acompanhado

De acordo com informações passadas por policiais, o suspeito estava acompanhado de um parente, que acabou fugindo e seguiu para sua casa aonde pediu ajuda para o resgate do outro indivíduo. Depois disso, ao menos seis brasileiros seguiram para a propriedade da família boliviana e desamarraram o suspeito. Enquanto isso, o pai da menor de idade ainda seguia em busca de socorro policial.

De acordo com os investigadores responsáveis pelo caso, as duas famílias já se conheciam.

Segundo o tenente Dário Almeida, da Polícia Militar do Acre, os suspeitos já estariam voltando para o lado brasileiro da fronteira quando o parente que fugiu para buscar ajuda decidiu voltar para buscar as espingardas que a família da jovem havia apreendido. Ao voltarem à propriedade dos bolivianos, uma discussão com a mãe da vítima teria iniciado e, depois disso, teriam acontecido as mortes.

Mãe da jovem tentou proteger a família

A mãe da menor de idade tentou proteger sua família do ataque, mas acabou sendo baleada. A mesma bala passou pelo corpo da boliviana e ainda atingiu o filho adolescente, que ainda foi atingido por um segundo disparo e não resistiu aos ferimentos. Além deles, outro filho da boliviana também foi baleado após ter sido flagrado pelos suspeitos filmando toda a ação.

Todas as vítimas seguem em território boliviano, e de acordo com a Polícia Civil, todos estavam sem documento, por isso, não tiveram suas idades reveladas.

Vítima sobrevive ao ataque

A menor de idade vítima do abuso também estava filmando o crime escondida. Ela foi vista pelos suspeitos e acabou baleada. Acreditando que a adolescente estaria morta, os suspeitos esconderam o corpo dela junto com os corpos das outras três vítimas fatais. Contudo, a jovem sobreviveu aos disparos, conseguiu chegar às margens do rio Abunã e pediu socorro.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!