Na tarde da última terça-feira (1º), a médica Dieynne Saugo precisou passar por uma traqueostomia, que é uma pequena abertura feita na traqueia.

O procedimento foi feito porque a médica estava apresentando problemas para respirar, visto que suas vias aéreas estavam, de acordo com as informações divulgadas, 70% comprometidas.

Dieynne está ainda internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) desde o último domingo (31).

Picada por cobra

No domingo, a médica foi picada por uma cobra jararaca, no momento em que ela estava realizando um passeio na Cachoeira Serra Azul, na cidade de Nobres, que fica a 151 quilômetros de Cuiabá, em Mato Grosso.

De acordo com o que foi relatado por José Antônio de Figueiredo, o médico coordenador do Centro de Antiveneno do Mato Grosso (Ciave), Dieynne teve picadas no rosto e pescoço.

O médico ainda informou que as vias aéreas de Dieynne ficaram comprometidas devido a um inchaço que ocorreu nas regiões afetadas e, por isso, a paciente passou a ter problemas respiratórios por causa da picada da cobra.

Figueiredo explicou que a situação ocorreu devido o fato de que se assemelha a uma reação alérgica, mas que não necessariamente o veneno da cobra poderia causar este tipo de alteração na paciente.

No entanto, ele causaria o inchaço em questão na região do pescoço onde ela foi picada e, por isso, poderia acontecer este comprometimento das vias aéreas.

De acordo com o médico, o caso de Dieynne é diferente justamente pelo local em que ocorreu a picada. Isso porque, na maioria das vezes, os pacientes são picados em áreas como pés, tornozelos e pernas, em seguida as regiões mais comuns de acontecerem as picadas são a mão e o braço.

Tratamentos para Dieynne

A família de Dieynne informou que o médico responsável pelo caso da médica deu duas opções em relação ao tratamento da médica, para que a respiração dela passasse por uma melhora: uma traqueostomia ou a entubação.

A primeira trata-se de um procedimento cirúrgico, onde é realizada uma abertura na traqueia do paciente, onde será inserido um tubo, que fará com que seja feita a passagem do ar, para melhorar a respiração do paciente.

Na segunda, um tubo é inserido dentro da traqueia, e com isso é permitida a ventilação mecânica.

Logo após o procedimento cirúrgico em questão, a médica foi novamente levada pra a UTI, onde está agora em observação. José Antônio ainda confirmou que o caso de Dieynne está sendo considerado pela equipe médica como grave.

A médica chegou ao Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) no momento em que foi levada após a picada do animal, vomitando sangue. O local onde o incidente aconteceu fica localizado há mais de 150 quilômetros do hospital para onde a médica foi levada.

Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!