O ortopedista Homero Rodrigues, de 49 anos, se tornou parte de um grupo de profissionais da Saúde que morreu vitimado pela Covid-19 em Pernambuco. O diagnóstico da doença do médico foi confirmado através da Secretaria Estadual de Saúde. O médico estava atuando atualmente tanto na rede pública quanto na rede privada do estado. Ao contrair a doença, o médico passou 26 dias internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e acabou morrendo no último domingo (17), de acordo com o que foi relatado pela esposa do Homero, a também médica Cristiane Santos.

Através das redes sociais, a viúva do médico fez uma publicação nesta última segunda-feira (18) onde relatou a respeito da morte de seu marido, no Recife.

Homero Rodrigues deixou dois filhos, um de 7 e outro de 17 anos. A viúva do médico conversou com a reportagem do portal G1, e através de uma mensagem relatou que o corpo de seu marido havia sido cremado.

Na publicação feita nas redes sociais, Cristiane ressaltou que o marido havia partido de forma generosa em uma madrugada chuvosa de sábado para domingo. Ela em seguida destaca que o marido levou em seu coração vários amigos e admiradores que ele cultivou em sua vida. A viúva ainda destaca que para ela o marido foi como um soldado da saúde, e que ele acabou sendo abatido na batalha no momento em que trabalhava na linha de frente no combate contra o coronavírus, que acabou o infectando e o levando à morte neste último final de semana.

"Homero você foi um soldado da saúde, abatido em batalha, na linha de frente da Covid -19”, disse.

Os sintomas

Cristiane relatou que os primeiros sintomas do marido apareceram no dia 16 de abril. Ela conta que o marido em um primeiro momento teve conjuntivite, um sintoma bem raro de aparecer em relação à doença.

Ela ainda conta que no mesmo dia o marido fez o exame para constar se ele havia contraído a Covid-19 de fato. No entanto, o resultado do exame ficou pronto somente cinco dias após ter feito o exame. No dia 19 de abril, novos sintomas apareceram, e o médico passou a ter febre e tosse. De um dia para o outro, a viúva conta que o marido foi internado e que seu estado de saúde se agravou, até que ele foi parar na UTI.

Ela ainda relata que foram 26 dias de esforço, mas que o marido acabou falecendo.

A médica aproveitou também para poder agradecer aos médicos do Hospital Português do Recife, que cuidaram de Homero durante todo momento em que o médico esteve no local. O médico atuava como ortopedista, e entre outros locais, ele trabalhava há 10 anos no Hospital Dom Helder Câmara, que fica localizado no Cabo de Santo Agostinho. Através de uma nota, o Conselho Regional de Medicina de Pernambuco lamentou a morte de Homero, onde também foi resumida a trajetória do médico durante toda sua carreira profissional.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!