Elias Pereira da Silva, mais conhecido como Elias Maluco, foi encontrado morto nesta terça-feira (22), dentro da Penitenciária Federal em Catanduvas, localizada na região oeste do Paraná. Elias Maluco é considerado um dos maiores traficantes de drogas do estado do Rio de Janeiro. De acordo com informações apuradas pelo portal UOL, o corpo do detento foi encontrado com marcas de enforcamento, contudo, até o momento a causa da morte de Elias ainda não foi divulgada oficialmente.

Elias foi detido há 18 anos, em 2002, após ter se envolvido no assassinato do jornalista Tim Lopes, da Rede Globo. Ainda em 2002, ele foi condenado por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Já em 2005, Elias voltou a ser sentenciado, desta vez por homicídio, ocultação de cadáver e formação de quadrilha. Oito anos depois, ele também foi condenado por lavagem de dinheiro.

O Departamento Penitenciário Nacional (Depen) confirmou a morte do traficante Elias Maluco. De acordo com informações passadas pelo órgão, agora a Polícia Federal fará uma perícia no local onde foi encontrado o corpo do criminoso. Além disso, segundo órgão, a família de Elias já foi comunicada da morte através do Serviço Social do complexo prisional.

Ainda de acordo com uma nota divulgada pelo Depen, eles prezam pelo “irrestrito cumprimento da Lei de Execução Penal”. O órgão garante ainda que todos os detentos do Sistema Penitenciário Federal contam com as “assistências previstas no normativo”.

Elias Maluco participaria de projeto de reabilitação

De acordo com informações passadas pela presidente do Instituto Anos da Liberdade, a advogada Flávia Flóes, na manhã desta terça-feira (22) um advogado foi até o complexo prisional no intuito de conversar com Elias, que teria demonstrado interesse em participar do projeto.

Contudo, ainda segundo a advogada, chegando ao local o advogado teria sido informado que Elias não queria recebê-lo.

Assassinato do jornalista Tim Lopes

O nome de Elias Maluco repercutiu após seu envolvimento no assassinato do jornalista Tim Lopes. Na ocasião, o jornalista investigava o tráfico de drogas em alguns bailes funk da zona norte do Rio de Janeiro e o abuso em menores de idade.

Advogados tentaram desarquivar inquérito

No início do ano, o portal UOL divulgou uma matéria sobre um grupo de advogados que haviam despertado o desejo de desarquivar o inquérito conduzido contra Elias Maluco. Com isso, os advogados pretendiam reabrir toda a investigação e, desta vez, realizar a apuração pelos próprios advogados, tudo isso após uma mudança na legislação brasileira. Com base na versão destes advogados criminalistas, Pereira seria considerado inocente de todas as acusações.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!