Um homem de 42 anos, que possuía necessidades especiais e andava de cadeira de rodas, morreu após ser arremessado de um viaduto e cair dentro de um rio. O caso aconteceu na manhã da última quinta-feira (29), em Bauru, no interior de São Paulo.

Testemunhas relataram aos policiais que o homem, identificado como Luiz Antônio Barreto, foi jogado do viaduto da rua 13 de Maio, no centro da cidade, e caiu dentro do rio Bauru. Ainda de acordo com as testemunhas, o cadeirante teria sido vítima de uma tentativa de assalto.

Um homem de 37 anos, suspeito de ter praticado o crime, foi detido momentos depois.

A polícia informou que o suspeito teria conduzido o cadeirante por cerca de dez quarteirões até o viaduto, de onde teria arremessado a vítima, que caiu na água. A queda foi de aproximadamente de dez metros.

O Corpo de Bombeiros ainda fez o resgate da vítima e tentaram reanimá-la por aproximadamente 30 minutos, porém, o cadeirante não resistiu aos ferimentos decorrentes da queda de veio a falecer.

O home suspeito de ter praticado o crime foi indiciado por homicídio triplamente qualificado. Ele já havia sido preso por roubo e furto e foi levado para a cadeia de Avaí.

Barreto tinha três filhos e quatro netos, mas por conta do vício em álcool e drogas vivia nas ruas de Bauru.

'Não tinha como se defender', diz sobrinho

O vendedor Maycon Barreto, de 24 anos, classificou como crueldade o que foi feito com seu tio. De acordo com ele, o cadeirante, mesmo possuindo força nos brancos por conta do esforço empregado para empurrar a cadeira de rodas, não teve chances de defesa contra o suspeito.

“Ele podia até tentar se defender, mas seria em vão”, disse ao portal G1 o sobrinho da vítima, que trabalha em uma loja de roupas perto de onde o tio costumava ficar vendendo balas e pedindo ajuda aos motoristas. Ele recebia ajuda de alguns comerciantes da região e dois dias antes havia ganhado um bolo de presente para celebrar seu aniversário.

O jovem relembra as vezes em que se encontrou com o tio, que encarava os problemas físicos com muito bom-humor. Ele sempre dava risadas que o sobrinho dizia que iria presenteá-lo com um par de chinelos.

Perdeu as pernas há 14 anos

Maycon conta que o tio perdeu as pernas em um acidente ocorrido há 14 anos, na linha férrea que corta o centro da cidade. O vício em drogas e bebidas fez ele se afastar dos familiares e escolher viver nas ruas. “Entre a bebida e a família, ele escolheu a bebida”, lamentou o jovem. “Ele não era uma pessoa ruim, apenas um pouco marrento”, seguiu.

O sepultamento do cadeirante ocorreu na manhã desta sexta-feira (30), no Cemitério do Jardim Redentor, em Bauru. A investigação do caso será feita pela Polícia Civil.

Não perca a nossa página no Facebook!