Mais um crime contra uma criança inocente foi registrado na tarde desta terça-feira (29), na divisa entre as cidades de Curitiba e Campo Largo, no Paraná. A Polícia foi chamada para atender uma ocorrência de uma mulher que estaria tentado tirar a própria vida perto de um rio, às margens da rodovia BR-277.

Quando a Polícia Rodoviária Federal (PRF) chegou ao local, encontrou Caroline Carilho Correia, de 29 anos, recebendo atendimento de uma equipe do Corpo de Bombeiros. Os agentes perguntaram à mulher o porquê dela se encontrava naquele local e a mesma disse que queria tirar a própria vida.

Morte do filho

Logo após ser questionada pelos agentes, a mulher então teria confessado que tirou a vida do filho, Isaac Carrilho Barbosa, de apenas 3 anos. Segundo a polícia, Caroline contou aos agentes que, após matar o filho, havia abandonado o corpo da criança em uma mata próxima ao local onde estava.

Policiais foram solicitados a comparecer ao local e com a ajuda dos bombeiros adentraram na mata e conseguiram encontrar o corpo do menino, que já se encontrava sem vida, perto de um campo de futebol. O delegado Nasser Salmen disse que a criança foi encontrada em cima de um saco plástico, ao lado dos seus brinquedos. Segundo ele, foi muito triste ter que fotografar e presenciar aquela cena, e que o menino estava muito bem-vestido e arrumado.

Segundo as primeiras informações, a mulher saiu de casa com o filho em um táxi durante a tarde e já foi direto para o local do crime. Ainda não se sabe se ela matou o filho na mata ou se a criança já foi levada para o local sem vida.

Causa da morte do menino pode ser asfixia

Segundo o delegado, aparentemente uma ação motora, provavelmente uma asfixia, teria tirado a vida do menino.

Nasser disse que os exames do Instituto Médico Legal determinarão se realmente essa foi a causa da morte.

A mulher foi encontrada com ferimentos profundos nos dois pulsos, que teriam sido causados pela mesma com uma gilete. Ela foi presa em flagrante pelo homicídio do filho e levada por policiais ao Hospital do Trabalhador, onde foi submetida a cirurgia nos locais dos ferimentos.

Até esta quarta-feira (30), a mulher se encontrava internada sob a escolta dos policiais.

Caroline não teria dito qual teria sido a motivação para tirar a vida do menino. O marido de Caroline e pai do pequeno Isaac, que morava com os dois, teria ficado em choque ao saber do crime e foi levado à Central de Flagrantes para prestar depoimento, mas não quis falar com a imprensa.

O delegado disse que espera a equipe de policiais que estão fazendo a escolta da mulher para pegar mais detalhes e depoimentos sobre o crime. A investigação continua para saber a motivação do crime e assim que Caroline receber alta, ela será encaminhada para a delegacia, onde ficará detida.

Igor José Ogar, advogado contratado para defender Caroline, disse que a mulher se encontra internada, à base de sedativos.

Os médicos teriam pedido que ninguém tivesse contato com ela por enquanto e a mesma será avaliada por psiquiatras, por estar em condição de incapaz. Ele disse também que a família da suspeita é muito reservada e que ainda não tem como falar sobre o que levou a cliente a cometer o crime.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!