Uma situação um tanto quanto inusitada ocorreu em uma agência bancária do Banco do Brasil em Campinas, no interior de São Paulo. Uma mulher está sendo investigada pela Polícia após comparecer ao banco com um idoso morto, para tentar fazer prova de vida do mesmo e tentar sacar sua aposentadoria.

Homem estava morto há horas

Foi no último dia 2 de outubro que a mulher chegou a uma agência do Banco do Brasil na região central da cidade com um homem, de 92 anos, em uma cadeira de rodas. No local, tentando apressar o atendimento, ela informou aos funcionários que o seu companheiro estava passando mal.

O que ela não esperava é que o Corpo de Bombeiros fosse acionado. No local, os socorristas constataram que o idoso já estava morto e que o óbito já teria ocorrido há algum tempo. Por causa da rigidez cadavérica, a corporação desconfiou de que o homem estava morto há mais de 12 horas.

Diante da situação, a equipe do corpo de bombeiros acionou a Guarda Municipal, que se encontrava perto da agência, e os mesmos acionaram a Polícia Militar. Os policiais foram até a agência e conduziram a mulher ao 1º Distrito Policial para registro da ocorrência e para que ela prestasse depoimento sobre a situação.

Mulher será investigada por estelionato

José Henrique Ventura, diretor do Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo interior, disse nesta quinta-feira (15) que o laudo de necropsia revelou que o homem, que era um escrivão aposentado e viúvo, já estava morto há 12 horas, no momento em que foi levado ao banco.

Segundo ele, a mulher alegou que era companheira do idoso há alguns anos, mas que não possuía procuração para movimentar a conta do falecido. O policial disse que, diante do laudo cadavérico, eles instaurarão um inquérito por estelionato.

Antes do laudo sair, o caso estava sendo investigado como morte a esclarecer, mas agora eles querem saber qual era a intenção da mulher ao levar o homem morto até a agência e o que a mulher pretendia fazer com o idoso e com o dinheiro que ela queria sacar.

As diligências continuam para esclarecer os fatos, informou a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, inclusive com o depoimento de testemunhas.

O Banco do Brasil lançou uma nota informando que atua para mitigar os riscos de fraudes em pagamentos de benefícios da Previdência, tomando todas as medidas para a identificação do cliente, com o uso de senhas, cartão e biometria.

Segundo eles, no caso ocorrido em Campinas não estava relacionado com prova de vida do INSS. Segundo a nota, o banco seguiu todos os protocolos previstos na contratação de serviços com a fonte pagadora, e isso incluiu a exigência de uma procuração ou mesmo a presença do beneficiário ao banco.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!