Na última quinta (15), uma turma de alunos do sétimo ano do ensino fundamental de uma escola estadual de Campinas, no interior de São Paulo, recebeu, supostamente por engano, uma foto nu de seu professor de artes. Segundo o professor, o envio da foto foi um engano, e era destinado a outro grupo online do qual faz parte.

A Secretaria de Educação de São Paulo está em processo investigativo do caso, que deixou os pais muito indignados e os alunos em estado de choque.

Relatos de uma das mães

A mãe de uma das alunas que frequenta a Escola Estadual Gustavo Marcondes, pediu para não ser identificada ao relatar ao portal UOL que recentemente sua filha foi surpreendida com mensagens bastante estranhas enviadas pelo professor.

Ainda de acordo com ela, a garota ficou sem reação com a situação e avisou a mãe sobre o ocorrido. Vendo que a filha tinha ficado muito envergonhada, a mãe pegou o aparelho celular e a retirou do grupo imediatamente. Ela ainda relatou que esta vários dos pais tiveram atitude igual ao tomarem conhecimento do conteúdo enviado pelo professor.

A foto

Segundo os relatos, o professor, identificado apenas como A.G., enviou três mensagens às 7h45 da manhã onde defendia a prática do naturismo, com a fotografia vindo em seguida.

Na imagem, o docente aparece nu com uma xícara de chocolate quente na mão. "Bom dia pelados, seguido de chocolate gelado e corpo quente", dizia a legenda, seguida de uma mensagem desejando um ótimo dia de chuva a todos e "um beijo para os pelados".

B.O.

Indignada, uma das mães dos alunos registrou um B.O. (Boletim de Ocorrência) na Delegacia de Defesa da Mulher sobre o caso. O fato gerou uma investigação contra o professor sob acusação de enviar material pornográfico para menores, baseada no artigo 241-A do Estatuto da Criança e do Adolescente.

Relatos do professor

A.G. enviou uma nota oficial à imprensa onde comenta o ocorrido. O texto revela que ele é naturista adepto da prática há 15 anos, e que enviou as mensagens e a fotografia para o grupo errado. Segundo o professor, assim que se deu conta do erro que havia cometido, a coordenação da escola foi avisada imediatamente e ele propôs um debate em torno da situação.

Ele defende que nada ocorre de forma aleatória, e que o nu sempre fez parte da arte, inclusive existem vários artistas que trabalham com o naturismo. Ele argumentou também que já existem programas de televisão que abordam a prática, apesar de tudo isso ainda ser visto com muito preconceito. Ele mais uma vez afirma que cometeu sim um erro e propôs o debate.

O professor será afastado de suas funções enquanto ocorrem as investigações, e um processo disciplinar também será aberto para averiguação do caso.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Educação
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!