Segundo informações do portal UOL, os moradores do Jardim Itatiaia, bairro simples da periferia de Campinas (SP), com casas de tijolos aparentes e ruas sem asfalto, ficaram bastante perplexos após saberem que em uma das residências havia uma criança de 11 anos mantida presa em um barril. A Polícia Militar foi até o local graças a uma denúncia recebida no último sábado (30).

Uma equipe de reportagem do UOL foi até o local onde o menino mora e constatou que o medo dos moradores é muito grande, principalmente, porque espalharam um falso boato que a madrasta do garoto teria sido solta. Alguns vizinhos deram entrevista ao portal, mas não autorizaram fotos e nem deram os nomes.

Contaram como era a família que vivia lá e como se relacionavam com os vizinhos. Uma mulher de uns 30 anos disse que não se via o pai do garoto, de 31 anos, mas que a mulher dele era bastante conhecida no bairro, porque distribuía café, bolo e alguns biscoitos para a vizinhança. Ela disse que a mulher sempre fazia comida e dava aos vizinhos e parecia "gentil".

A vizinha ainda disse que a mulher não deixava ninguém entrar na casa e tudo era feito no portão para fora. Pensaram que a mulher queria algum tipo de privacidade e não gostava de ninguém dentro da casa dela. Segundo o 2º sargento da PM Mike Jason, que acompanhava a ocorrência no sábado, a dona da casa mantinha 13 cachorros e tinha uma ONG –que ele diz não saber se era legalizada– que cuidava de animais abandonados.

Jason ainda disse que viu os cachorros muito bem tratados, enquanto ela mantinha a criança sem comida.

Outros vizinhos disseram que começaram a ter uma desconfiança que havia alguma coisa de errado na casa logo após começarem a ver alguns vultos no buraco em uma das paredes, há cerca de um ano. Uma vizinha de aproximadamente 42 anos disse que todo mundo sabia da relação conturbada dos pais com o garoto, porque eles reclamavam da hiperatividade da criança.

Assim, começaram a estranhar a ausência do garoto em público ou na rua onde brincava sempre. Eles disseram que tentaram descobrir alguma coisa do garoto, mas o casal não abria a casa.

Foi assim que uma denúncia chegou ao Conselho Tutelar, e logo depois houve uma denúncia à Polícia Militar, que terminou com a descoberta do garoto morando em um barril.

O menino foi achado muito magro e debilitado e foi levado ao hospital Ouro Verde, onde está ainda internado. Segundo a prefeitura de Campinas, o menino tem um quadro de desnutrição grave e vai continuar no hospital.

Conselho Tutelar

O conselheiro da região sul de Campinas, Moisés Session, disse na entrevista coletiva no domingo (31) que houve uma falha de acompanhamento da criança. "O Conselho sabia que a família tinha problemas de relacionamento, o histórico com uso de drogas, e por isso tinha o acompanhamento da equipe de 'média complexidade' para casos assim. Mas, nunca havia chegado a informação de que o menino era mantido nessas condições", disse.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!