No trânsito, os pedestres são a parte mais vulnerável; e as crianças, ainda mais. De fácil distração e comportamento imprevisível, elas não têm tanta noção dos riscos quanto os adultos e, para soltarem da mão do responsável e atravessarem na frente de um carro, não custa muito.

Outra cena comum é a de pais parando em fila dupla, abrindo as quatro portas do carro para que as crianças subam ou desçam. Os congestionamentos na porta das escolas estimulam a travessia entre os carros e, no caso de um atropelamento, faz com que a vítima seja prensada entre os veículos.

Pensando nisso, veja a seguir dez medidas que você deve tomar para evitar atropelamentos e outros acidentes, além de ajudar na fluidez do trânsito próximo às escolas:

1 – Evite as áreas escolares nos horários de pico

Normalmente, os horários com maior fluxo são os de início e final das aulas — 7h, 12h e 17h. Se estiver dirigindo por uma região que não conhece bem, observe a sinalização local. Procure pela placa losango amarela com o desenho de um adulto e uma criança, com faixa de pedestre ou não.

2 – Não podendo evitar, diminua a velocidade

Para observar melhor ao seu redor, dirija, no máximo, a 30 km/h. Evite tudo que possa dispersar a sua atenção, como mexer no som do carro ou falar ao celular.

3 – Acenda os faróis

Todos sabem que essa nova geração se distrai facilmente. Não é raro, por exemplo, ver um jovem olhando para a tela do celular enquanto atravessa a rua. Para completar, cerca de 1⁄3 dos carros brasileiros é cinza ou prata, que se camuflam em locais com muita sombra, principalmente ao final da tarde ou na chuva.

Os faróis acesos ajudam a chamar a atenção.

4 – Olhe por baixo dos veículos estacionados

Como as crianças são mais baixas, é mais difícil vê-las através dos vidros dos carros. Se você vir pezinhos se movendo por baixo de um veículo, obviamente, não quer dizer que aquele seja o carro dos Flintstones, mas, sim, que há uma criança passando ali atrás.

5 – Evite dar ré

Ou, pelo menos, tenha bastante cuidado ao fazê-lo. Ainda por causa da baixa estatura das crianças, elas são facilmente tampadas pelas traseiras dos carros, que são mais altas do que as dianteiras.

6 – No carro, respeite a capacidade

Excetuando-se as motos, qualquer automotor deve ter cintos de Segurança para todos os ocupantes. Dependendo da idade, a lei ainda obriga o uso da cadeirinha. No caso de uma batida, um adulto dificilmente consegue ter a firmeza de segurar uma criança que esteja em seu colo, sem o cinto.

7 – Só leve crianças no banco traseiro

Não ceda à insistência de ir no banco da frente “só hoje”. Uma boa dica para evitar que as crianças fiquem inquietas é usar almofadas ou outra coisa que as deixe a uma altura de se distraírem com o que está no exterior do veículo.

8 – Não pare em fila dupla

Claro que não demora nada, mas imagine que outras 200 famílias também só estão deixando ou buscando o filho ali “rapidinho”. Além disso, o embarque e o desembarque só devem ser feitos pelo lado da calçada, nunca pelo da rua.

9 – Caminhe com as crianças longe do meio-fio

Com as crianças do lado interno da calçada, você as protege dos carros. Outra boa observação é que segurá-las pelo punho é melhor do que pela mão, que escorrega mais facilmente.

10 – Ensine sobre os perigos do trânsito

Mostre a importância de se usar a faixa de pedestre para atravessar e, mesmo assim, olhar para os dois lados mais de uma vez, para se certificar de que não vem nenhum carro.

Com noções de segurança e cidadania desde cedo, tenha a certeza de que estão sendo construídos os motoristas e pedestres responsáveis do futuro.

Como deu para perceber, o aprendizado é constante!

Siga a página Escola
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!