Para quem vai viajar e pretende levar bagagens em grande quantidade ou volume, não ter uma picape pode ser um verdadeiro desafio. No entanto, o espaço limitado de um porta-malas deixa de ser motivo de restrições no transporte se o carro tiver um rack ou bagageiro de teto.

Apesar de os dois acessórios terem a mesma função, existem algumas diferenças básicas entre eles. Com modelos de diversos tamanhos e capacidades no mercado, é importante antes pensar no que se pretende para depois escolher qual é o mais indicado.

Qual a diferença entre um rack e um bagageiro?

Rack: a carga é amarrada ao teto do carro. Existem os de estrutura totalmente rígida e os que possuem tiras de plástico reforçado. O dono do carro precisa ter a certeza de que realmente vai colocar o acessório, já que, uma vez instalado, só dá para tirá-lo se for para colocar outro no lugar.

Apesar de todos terem o exterior de plástico, a estrutura pode ser de ferro ou alumínio. Quem frequenta a praia deve preferir um de alumínio, por causa dos efeitos da maresia. No entanto, ele custa quase o dobro de um de ferro.

Bagageiro de teto: também chamado de maleiro, esse acessório é um compartimento que funciona como se fosse um porta-malas extra. Ele é acoplado ao rack e dá para tirá-lo quando quiser.

Por ser fechado, ele oferece um transporte mais seguro, além de proteger a carga contra a água, o sol e a maresia.

O bagageiro de teto é especialmente útil nos veículos multiuso de sete lugares, que levam mais passageiros (e suas bagagens), mas têm o espaço do porta-malas limitado.

Qual é a capacidade indicada de peso e dimensão?

Peso: O rack ou bagageiro deve ser usado de acordo com a carga que se deseja transportar, para não quebrar o suporte. Em qualquer caso, é preciso respeitar a capacidade estabelecida no manual de proprietário do veículo (normalmente, esse limite varia entre 40 e 50 kg).

Caso o limite de peso seja ultrapassado, a estabilidade e a aerodinâmica do conjunto são afetadas.

Além disso, o teto do veículo pode chegar a amassar e há o perigo de a carga se desprender do rack em uma freada brusca.

Dimensão: Segundo a legislação brasileira, a carga não pode tampar as luzes do veículo nem prejudicar a visibilidade do motorista. Também não pode ter o comprimento maior do que o do carro, a largura não pode ser maior do que a do teto e a altura não pode ter mais de 50 cm.

Na verdade, a altura maior do que 50 cm pode dificultar até mesmo a entrada em uma garagem. Há a exceção para o transporte de bicicletas, onde não há limite para a altura, porém é obrigatório o uso de fitas e suportes extras para travar as rodas.

Qual é a melhor marca?

Os suportes e racks mais indicados são os que já vêm acoplados ao veículo de fábrica.

Se não vierem, que, pelo menos, sejam feitos pela montadora. Caso não os encontre, o melhor é procurar pelas marcas mais conhecidas e as lojas mais confiáveis (principalmente se forem virtuais).

Alguns suportes possuem ventosas que se prendem ao topo do carro, mas a maioria possui longarinas e travessas que fazem um ajuste fino ao teto. Se o veículo não vier preparado com nada disso, será necessário furar o teto do veículo. Nesse caso, é preciso fazer uma vedação com silicone e buchas para impedir a entrada de ar e água na carroceria.

Antes de correr para a loja, é bom dar preferência aos modelos com recursos de segurança contra roubos. O principal é verificar se o bagageiro pode ser trancado com chave e se possui travas.

No mais, boa Viagem!

Siga a página Viagem
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!