Desde da última segunda-feira, as mídias e redes sociais levaram seus olhares ao nascimento do novo herdeiro do trono britânico, o filho do príncipe William e da duquesa Kate. E uma notícia que gerou muita repercussão foi o fato da duquesa deixar o hospital com o bebê horas depois do parto, [VIDEO] porém é bem comum para os britânicos. Além disso, a duquesa tem a segurança e recursos necessários para garantir o seu bem-estar e do novo príncipe.

Entretanto após o parto é relevante que as mulheres atentam aos sintomas que precisam ser identificados e tratados. Os sintomas mais comuns pós parto, são: febre, perda de uma grande quantidade de sangue, mau cheiro e falta de ar.

Com o aparecimento de qualquer um desses sinais, a mulher deve ir imediatamente ao hospital para ser diagnosticada e tratada, uma vez que estes indícios podem indicar problemas graves, como trombose, retenção placentária, hemorragia, embolia pulmonar, choque hipovolêmico e depressão pós parto, é o que afirma a ginecologista Scheila Sedicias, no site "Tua Saúde".

6 doenças comuns e graves no pós-parto

- Retenção Placentária: Pode ocorrer em qualquer tipo de parto, todavia é mais comum em parto normal. A retenção placentária é quando a placenta não é expelida totalmente durante o procedimento do parto. E, todo detrito placentário que ficar alojado no útero pode ocasionar infecção, e provavelmente proliferação de bactérias que podem chegar ao sangue e causar septicemia (infecção generalizada), por exemplo.

Alguns fatores contribuem para aumentar os riscos da retenção placentária, como parto induzido, cicatriz no útero, nascimento prematuro ou ter sofrido deste problema em gravidez anterior.

Os sinais são:

  • Febre
  • Cólicas
  • Corrimento com mau cheiro
  • Hemorragia

- Hemorragia pós-parto

É o que causa mais morte em mães durante o trabalho de parto. A hemorragia acontece devido à enorme perda de litros de sangue após a saída do bebê. Esta hemorragia só pode ser contida pelos médicos.

Ela ocorre logo depois da saída da placenta, mas pode ocorrer depois de 1 mês após o parto. Portanto, não será tão agressiva.

As causas são:

  • Trabalho de parto muito demorado
  • Falta de contração uterina
  • Parto de gêmeos ou mais bebes
  • Uso de relaxante muscular
  • Miomas
  • Ferida no útero
  • Dificuldade de coagulação sanguínea

- Trombose Venosa

É uma doença grave, que acontece devido a gestante passar muitas horas deitada no trabalho de parto. Ela advém de coágulos que se formam na panturrilha ou coxas e ocasionalmente em membros superiores.

O desprendimento do coágulo (trombo) destrói válvulas, situadas no interior das veias responsáveis em levar o sangue até o coração.

A principal causa é a imobilidade, onde a mãe passa muitas horas deitada numa mesma posição e assim provoca a criação do coágulo. Após o parto é relevante que a paciente fica atenta aos inchaços e dores nas pernas, para notificar o seu médico.

Os sinais são:

  • Batimento cardíaco acelerado
  • Mais inchaço em uma perna do que na outra
  • Dor na panturrilha
  • Vermelhidão

- Embolia Pulmonar

A embolia pulmonar, também chamada de embolismo pulmonar, é um quadro grave que ocorre quando um trombo (coágulo) localizado em uma das veias das pernas ou da pelve se solta, viaja pelo organismo e se aloja em uma das artérias do pulmão, bloqueando o fluxo de sangue.

Os sinais são:

  • Febre
  • Pressão baixa
  • Falta de ar
  • Dor no peito
  • Dificuldade para respirar
  • Coração Acelerado

- Choque Hipovolêmico

Também é caracterizado como choque hemorrágico, é quando se perde 1 litro de sangue, impossibilitando que o coração envie sangue para todo o corpo e assim desencadeando vários problemas e colocando a vida da mamãe em risco.

Os sinais são:

  • Dor de cabeça constante
  • Cansaço e tonturas
  • Febre
  • Confusão
  • Náuseas e vômitos
  • Dedos e lábios azulados
  • Sensação de desmaios

- Depressão pós-parto

É um problema que afeta entre 70 a 80% das novas mamães. A depressão pós parto é um transtorno de humor que pode interferir na capacidade da mulher de cuidar de si ou do seu filho. Os sinais mais notórios são o sentimento de tristeza, de desespero e o desinteresse por atividades diárias que antes faziam.

A mãe com depressão pode pensar em machucar seu filho ou se suicidar. Ela normalmente não dorme bem, senti se desconectada de tudo e de todos, têm mudanças drástica de humor, comportamento estranho, alucinações visuais, auditivas ou olfativas e pensamentos delirantes. Se caso ela apresente pelo menos 5 destes sintomas, é preciso buscar ajuda para não colocar a vida do bebe e nem dela em risco.

As principais causas são:

  • Mudanças físicas
  • Fatores emocionais
  • Estilo de vida
  • Falta de apoio da família
  • Depressão anterior
  • Depressão durante a gravidez
  • Estresse
  • Bebe doente
  • Problemas financeiros
  • Tpm
  • Violência domestica

A paciente

É crucial que até a oitava semana após o parto a mãe possa também ficar atenta a todos os sinais apresentados, seja da embolia, da trombose, da hemorragia, da retenção placentária, do choque hipovolêmico ou da depressão. E, caso apareça que procure seu obstetra mais rápido possível. Visto que, é normal que este período de puerpério a precaução seja toda da criança [VIDEO], contudo os riscos que uma mãe enfrenta são muitos e é necessário um cuidado e uma observação sobre os sintomas que podem surgir.