Recentemente, uma Mulher deu entrada em um hospital na cidade de Quirinópolis, localizada na região sul do estado de Goiás, para dar à luz gêmeos. Entretanto, após o parto, recebeu apenas um bebê.

Aline Pereira de Jesus, a mãe dos até então gêmeos, realizou um exame de imagem durante o seu período de gestão no qual foi apontado que ela estava grávida de gêmeos. Na última sexta-feira (13), ela foi encaminhada ao Hospital Municipal Antônio Martins da Costa, em Quirinópolis, para dar à luz os bebês quando o incidente aconteceu.

Dois dias depois de receber apenas um dos bebês, o marido de Aline, Erivaldo Correia da Silva, prestou queixa às autoridades. Atualmente, o caso do “desaparecimento” do segundo filho do casal está sendo investigado pela Polícia Civil.

De acordo com Erivaldo, o principal motivo para a denúncia é a apuração dos fatos, de modo que ele deseja saber o que aconteceu no hospital após Aline dar à luz, e onde o seu suposto outro filho está no momento.

Ao comentar o caso com repórteres da TV Anhanguera, afiliada da Rede Globo na região, os responsáveis por comandar o hospital afirmaram que o parto de Aline foi realizado de maneira ética e que ainda que os exames de imagem apontassem para uma gravidez de gêmeos, na verdade, ela esperava somente um bebê. Além disso, a direção do hospital também afirmou que pretende colaborar com a investigação da Polícia Civil.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Saúde Mulher

De acordo com Simone Casemiro Campi, a delegada responsável por investigar a ocorrência, Aline e Erivaldo apresentaram a ela três exames de imagem. Os exames de ultrassom foram realizados em datas diferentes e por profissionais distintos. Todos eles apontavam para o fato de que Aline estava grávida de gêmeos. Apesar disso, a delegada acredita na hipótese de que, na verdade, a mulher estivesse esperando apenas um bebê.

O motivo para que Simone acredite nessa hipótese está ligado ao fato de que existe uma explicação médica para o ocorrido, previamente passada a ela. Apesar disso, a delegada afirmou que conversará com os profissionais que realizaram os exames de Aline. Porém, primeiramente, a hipótese é que o “desaparecimento do segundo filho”, na verdade, seja apenas um erro de diagnóstico por parte dos médicos.

Declarações de nascimento

Conforme as declarações de Erivaldo, foram emitidas pelo hospital duas declarações confirmando o nascimento de seus filhos.

A respeito disso, Simone Campi afirmou que a emissão foi um erro por parte da equipe médica.

Assim, a delegada apontou para o fato de que a primeira declaração foi emitida na ocasião do nascimento do filho de Erivaldo e Aline, ainda na sexta-feira. Entretanto, houve a necessidade de emitir outra declaração de nascimento no dia da alta (domingo, 15). Isso aconteceu devido ao fato de que os funcionários do hospital não conseguiram encontrar a primeira declaração emitida e, portanto, acabaram por fazer outro documento, o que, de acordo com a delegada, não é o procedimento correto.

Ainda a respeito do sumiço da primeira declaração, Campi destacou que, posteriormente, os funcionários conseguiram encontrar o documento. Devido a isso, os dois foram entregues para a família, mas isso não significa que em algum momento existiram duas crianças. Os dados apresentados em ambas as documentações são exatamente os mesmos, o que seria um indicativo de que a declaração foi refeita.

Por fim, Simone Campi ainda destacou que Aline e Erivaldo prestariam depoimento na última segunda-feira (16). De acordo com a delegada, toda a equipe envolvida no parto dos supostos gêmeos, desde médicos a técnicos de enfermagem, também devem depor a respeito do caso.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo