O sorriso macabro do Coringa está de volta aos cinemas, e, dessa vez, com uma explicação por trás da gargalhada maléfica do personagem que cresceu mais que muitos heróis. A risada do vilão Coringa [VIDEO] não é só uma marca registrada, também é patológica.

No novo filme do Coringa, a gargalhada do personagem é abordada de maneira diferente dos outros longas. Agora, ela é tratada como uma patologia do personagem a qual ele mesmo tenta explicar para as pessoas que presenciam a crise de riso.

Em momentos que o Coringa tem crise de riso [VIDEO], ele dá à pessoa com quem está falando um cartão.

Nele, o vilão explica que não consegue controlar a gargalhada por conta de seu problema de Saúde.

O ator Joaquin Phoenix, que deu vida ao personagem no novo filme, em entrevista ao jornal italiano La Repubblica, explicou como se preparou para compor o personagem icônico.

Segundo o ator, ele pesquisou muito sobre pessoas que sofrem de afeto pseudobulbar, que é a patologia que faz o Coringa rir descontroladamente sem razão alguma.

Coringa tem afeto pseudobulbar

O neurologista Glauco Filellini, do Hospital São Luiz Morumbi, em entrevista aosite M de Mulher, do Grupo Abril, conta que o afeto pseudobulbar também é conhecido como labilidade emocional.

O problema não é considerado uma doença em si, mas sim um efeito colateral de outros problemas, como lesão cerebral, AVC, doenças neurodegenerativas, ELA e falta de oxigenação no cérebro.

Essas doenças afetam a parte frontal do córtex cerebral, que é responsável pelo controle das emoções. Esses problemas podem causar danos irreversíveis nessa área.

A labilidade emocional não é uma doença psicológica, mas sim física.

Nos momentos de crise, a pessoa que começa a gargalhar sem controle, ou chorar compulsivamente, não está necessariamente se sentindo feliz ou triste. A crise não tem relação com o momento ou estado emocional da pessoa, apenas acontece involuntariamente, e quem sofre dela não consegue controlar isso, diz o neurologista Saulo Nader

O neurologista reforça que pessoas totalmente saudáveis não correm o risco de desenvolver a doença.

Ela apenas acontece em casos de pessoas que sofreram algum dano cerebral grave, e, mesmo assim, o número de casos é muito pequeno.

Coringa sofreu lesão grave na cabeça quando criança

No filme, o diretor deixa clara a causa da risada descontrolada do Coringa, mostrando que, quando pequeno, ele sofreu uma lesão muito grave no cérebro que resultou na risada patológica do personagem, mas essa não é a única causa no caso do Coringa, pois o personagem desde sempre foi mostrado como tendo problemas psiquiátricos.

O afeto pseudobulbar não tem cura, pois ainda não existe uma maneira de reconstruir partes do cérebro.

O tratamento é todo feito com medicamentos que ajudam a melhorar o comportamento do paciente.

Não perca a nossa página no Facebook!