Com apenas vinte dias depois do primeiro diagnóstico para o coronavírus, o Brasil já soma 292 casos confirmados. Quando comparado à Itália, que no vigésimo dia somava apenas três casos confirmados, o cenário se torna ainda mais alarmante.

O resultado é muito preocupante, pois o crescimento do vírus na Itália foi muito mais rápido a partir do vigésimo dia. No vigésimo terceiro dia, o país já somava 155 casos confirmados e três mortes.

Sabe-se que ainda não há uma data oficial do surto do coronavírus, apenas a hipótese de que a primeira pessoa tenha se infectado no final de novembro de 2019 e que o vírus foi identificado somente dia 7 de janeiro, e só após o dia 21 do mesmo mês é que os dados chineses começaram a ser sistematicamente disponibilizados, mas já havia então mais de 500 casos confirmados.

Pandemia, segundo a OMS

Dessa forma, o vírus invadiu de forma trágica diversos países, e a cada dia novos surgem. As nações infectadas tentam diminuir essa disseminação, cada uma com suas medidas e dentro de suas condições.

Singapura e Coreia do Sul estão sendo modelos positivos nas medidas para conter a doença. Singapura proibiu a entrada de pessoas que passaram pela China, e depois de quem tivesse passado na Coreia do Sul, além de dar ênfase aos programas de testes.

A Coreia do Sul também fez a mesma coisa.

Depois de um crescimento assustador, o alerta aumentou e as respostas também. O país investiu o máximo possível em testes em indivíduos suspeitos, distribuindo os testes para todos os postos do país e os suspeitos passaram a ser monitorados, tornando-se referência para o mundo por saber lidar com a epidemia.

O Irã, por exemplo, possuía oito mil casos confirmados no 20° dia, e hoje soma um total de 16 mil.

E o que tem ocorrido no aumento desse índice de infectados são os problemas que começam desde a falta de número de testes à morosidade de protocolos, além de as autoridades de Saúde estarem priorizando até o momento apenas as pessoas com os principais sintomas da doença.

O Irã é o país com pior índice logo no início, declarando duas mortes já no primeiro dia. A falta de estrutura no sistema de saúde do país tem sido o grande problema, além da não imposição de quarentena, bem como autoridades de saúde estarem em conflito com as religiosas.

Não perca a nossa página no Facebook!