No que se refere à indústria do entretenimento, a dublagem tem sido um dos setores mais afetados pela pandemia do novo coronavírus e, aos poucos, os profissionais da área citada estão procurando meios de se adequar à nova realidade.

De acordo com o site Notícias da TV, alguns estúdios que se dedicam a essa atividade retomaram as suas atividades nas últimas semanas. Entretanto, os cuidados necessários para evitar o contágio do vírus e as regras impostas se tornaram tão elevados que acabaram por aumentar também o custo da produção das dublagens.

É possível afirmar que, segundo o site destacado, ainda antes da reabertura dos estúdios em questão precisaram passar por uma higienização, feita por uma empresa especializada e regulamentada pela Prefeitura do Rio de Janeiro.

Além disso, para conseguir voltar à normalidade foi preciso realizar investimentos em itens como material de limpeza e mudanças estruturais. A dinâmica do trabalho também precisou ser modificada para assegurar que os profissionais da dublagem não corram riscos de se expor ao coronavírus.

Segundo o Notícias da TV, a Delart, um dos principais estúdios do segmento em todo o Brasil, conseguiu retornar ao trabalho ainda no dia 27 de abril, após passar um período de mais de 40 dias com as suas atividades suspensas. O estúdio em questão atende grandes clientes no território nacional, como a Netflix, a HBO, a Sony, a Paramount, a Paris Filmes e a Amazon.

Custos na dublagem

Ao comentar a respeito do retorno do estúdio às suas atividades, Fabio Nunes, o gerente de produção do Delart, afirmou que os custos para o funcionamento do estúdio subiram bastante devido à compra de material de limpeza e também de segurança.

Falando um pouco mais sobre os itens comprados, Fabio afirmou que se encontram na lista do estúdio o álcool em gel 70%, luvas, bactericidas, sprays de álcool 70%, máscaras, toucas e também protetores para os equipamentos, como os microfones. Também foram adquiridos pela Delart sapatos descartáveis, capas, protetores de assentos sanitários e tablets, que são usados no lugar dos tradicionais scripts.

Ainda comentando sobre outras medidas de segurança tomadas pela Delart para proteger os profissionais da dublagem, Nunes destacou que placadas de acrílico foram instaladas nos estúdios para a proteção dos profissionais, visto que isso permitirá que eles fiquem separados dos técnicos de gravação e também dos diretores, por exemplo.

De acordo com informações do Notícias da TV, em momentos anteriores os dubladores costumavam dividir o espaço do estúdio ou mesmo gravar de forma sequenciada para otimizar o tempo. Entretanto, agora existe um intervalo de pelo menos quinze minutos entre uma gravação e outra para que um profissional da limpeza possa fazer a higienização completa do estúdio e, portanto, evitar o contágio. Sobre isso, Fabio Nunes afirmou que o tempo gasto para a dublagem chegou a aumentar em 50%.

Siga a página Televisão
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Siga a página Seriados
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!