O enfermeiro Willian Arthur Brautigam, que está trabalhando na linha de frente do combate ao coronavírus na cidade de Guarapuava, na região central do Paraná, está há quase dois meses dormindo dentro de um carro, em uma garagem, para conseguir proteger seus familiares de se contaminarem com o coronavírus.

De acordo com o enfermeiro, em entrevista ao portal G1, ele não apresentou nenhum sintoma da doença. No entanto, ele preferiu adotar a medida como forma de prevenir e evitar que seus familiares sejam contaminados por contato com ele. Isso porque ele trabalha atualmente em uma unidade de saúde.

Ele ainda ressalta que sua maior preocupação no momento não é a de ficar doente, mas sim de levar a doença para as pessoas que ama, como seus familiares.

Morando em carro no lado de fora

Além de ter adaptado um carro de seu pai, uma Rural de 1965, o enfermeiro também tem adotado uma série de medidas e cuidados no momento em que ele chega em casa após o trabalho para evitar o contágio, caso ele venha a ter o vírus.

Brautigam, ao chegar em casa, tira toda a roupa que veio do trabalho e coloca em um balde com água e sabão. Ele conta que desde o começo da pandemia no Brasil não entra mais em sua casa, e que conversa com o seu filho de três anos de idade através da porta ou da janela da casa.

A esposa do enfermeiro, Luana Carvalho, comentou sobre a situação com o filho do casal e contou que quando o menino é questionado a respeito do que o pai está fazendo fora de casa, ele conta que o pai está matando os "bichinhos", e que enquanto ele não matar todos ele não pode voltar para dentro de casa.

O carro que agora se tornou a casa do enfermeiro durante este momento da pandemia fica na garagem da casa dos pais, que é no mesmo terreno da casa de Willian.

A família relata que tem sentido falta do contato mais próximo com o filho, mas que entendem que este gesto de amor agora é importante.

A mãe de Willian chegou a desabafar em uma declaração, que agora fazem dois meses que está sem abraço e beijo do filho, devido às medidas de segurança que foram adotadas pelo mesmo para evitar que seus familiares sejam contaminados com a doença.

A prefeitura da cidade de Guarapuava, onde reside Willian e a família, tem disponibilizado um hotel apenas para os profissionais de saúde que estão tendo os sintomas da Covid-19, para que eles fiquem isolados de seus familiares neste momento, como forma de prevenir que a doença atinja estas pessoas.

Atualmente, o Paraná conta com 105 mil profissionais da saúde na área de enfermagem, mas nem todos estão no momento na linha de frente no combate ao coronavírus.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), também em contato com o portal G1, atualmente existem 116 funcionários que estão sob suspeita de estarem infectados pelo novo coronavírus.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Relacionamento
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!