A covid-19 assustou a família do apresentador de Televisão Luciano Huck. Segundo ele revelou em entrevista ao jornal O Globo neste domingo (17). Seu pai, o jurista Marcelo Huck, de 80 anos, contraiu o novo coronavírus, que pode se tornar endêmico no mundo, segundo a OMS.

Luciano Huck disse ainda que o seu pai passa bem. O apresentador do Caldeirão do Huck criticou a forma de atuação dos governos diante da pandemia da covid-19. Ele gostaria que os governos estivessem mais coordenados, tanto nas esferas municipais, estadual e nacional. Também classificou as ações dos governos como disfuncionais e que não acrescentam em nada.

Sem admitir uma possível candidatura política em 2022, Huck defende que é preciso unir forças para combater a covid-19, considerando a pandemia como uma grave crise sanitária e com efeitos profundos na vida de pessoas. Para ele, é preciso enfocar a solidariedade e a boa informação.

Covid-19: crise endêmica

Apesar das ações de solidariedade, a preocupação de Huck em relação à doença pode não ter data para terminar. Um alerta da Organização Mundial da Saúde (OMS) chama a atenção para o fato de que a pandemia da covid-19 pode virar uma endemia, ou seja, o novo coronavírus pode não desaparecer da vida mundial tão rápido quanto o apresentador e o mundo todo desejam.

Uma endemia ocorre quando a doença se manifesta de modo constante, independente do número de pacientes, durante meses ou anos, de acordo com o infectologista Claudio Standnik, professor do curso de Medicina da Ulbra.

O diretor de emergências da OMS, Michael Ryan, disse em teleconferência que prever o fim do vírus é muito difícil nesse momento.

A OMS não garante que o fim da quarentena, como muitos países já começaram a adotar, possa garantir que a doença não retorne. Ainda há muito o que aprender sobre a doença. O coronavírus não desapareceu e o fim do confinamento pode gerar uma onda de novos contágios.

Pesquisadores brasileiros também manifestam preocupações quando a possibilidade de que a doença se torne uma endemia no país. Um exemplo de doença endêmica no Brasil é a dengue. De tempos em tempos, sempre temos um determinado número de pessoas com a doença. Outro exemplo de vírus endêmico é o HIV.

A infectologista Nancy Bellei, pesquisadora da Universidade Federal de São Paulo, diz que a evolução do vírus vai definir como teremos que viver daqui para a frente.

Se o novo coronavírus se torne mais atenuado, as pessoas não precisarão alterar a rotina. Caso contrário, se a covid-19 causar mais infecções graves nas pessoas, somente o desenvolvimento de uma vacina contra a doença poderá fazer com que a antiga rotina das pessoas seja recuperada.

Covid-19 e a economia

Enquanto a solução definitiva contra a covid-19 não surge, o isolamento social ainda é a solução adotada por governos. Luciano Huck também adota a medida, principalmente depois da contaminação de seu pai. Ele grava seu programa em sua casa no Joá, bairro carioca. E de lá, apoia movimentos sociais que visam ajudar pessoas cuja renda sofreu queda por conta da doença.

Assim como outros Famosos, Huck participa de grupos de apoio a pessoas vulneráveis.

Um desses grupos é a União Rio, um movimento da sociedade civil que arrecadou cerca de R$ 40 milhões. Com o volume arrecadado, o movimento doou 1,4 tonelada de alimentos para famílias de comunidades, bem como a reativação de 60 leitos de UTI no Hospital Universitário do Fundão.

O apresentador também apoia o Exemplo Arrasta, fundo solidário para pequenos empreendedores em comunidades.

Outras ações estão sendo promovidas por pessoas, famosas ou não. Para Luciano Huck, o momento não é para entrar em discussões políticas.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Relacionamento
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!