Há uma semana, a Universidade de Tecnologia e Design de Singapura chegou a fazer uma previsão em relação à pandemia do coronavírus que estamos enfrentando. Segundo os pesquisadores da universidade, o surto acabaria em meados de junho, porém, com a velocidade em que o vírus se propagou pelo Brasil, a previsão mudou.

Alastramento do coronavírus

O coronavírus foi descoberto no final do mês de dezembro de 2019, na cidade de Wuhan, na China,

No Brasil, as mortes já passaram de 11 mil, e 163 mil casos foram confirmados de covid-19. Devido a isso, a previsão chegou a estimar que apenas em meados de novembro as coisas irão se acalmar, e um possível fim da pandemia acontecerá.

Previsão para o fim da pandemia de coronavírus

Segundo o estudo, o Brasil está vivendo o pico da doença, no entanto, uma estimativa é que a partir do mês de julho o coronavírus comece a diminuir os casos de infectados.

O vírus também atingiu o resto do mundo, até de formas piores, em alguns países o coronavírus já saiu do controle e se tornou um colapso na área da Saúde pública e privada.

Também foi feita uma tentativa de previsão para saber o tempo que irá demorar para a doença ser sanada em um contexto global. Estima-se que apenas no primeiro mês de 2021 a pandemia estará controlada.

Para o “alivio” das pessoas, a pandemia já teve o seu pico global e também já passou pela sua pior fase até o momento, que aconteceu no mês de abril, inclusive neste mês os Estados Unidos, que atualmente é o epicentro do coronavírus, chegou a atingir 1 milhão de indivíduos infectados.

No mundo todo, a doença chegou a infectar aproximadamente 4 milhões de pessoas.

Países mais atingidos pelo coronavírus

Segundo estudo, a previsão para o fim da doença na Itália é dia 23 de outubro, na Espanha, 15 de agosto, e no Reino Unido, 30 de setembro. Os três países são os que tiveram mais casos da doença na Europa.

A equipe responsável pela pesquisa chegou a dizer que as datas previstas para o fim da doença podem ser alteradas, podendo chegar a levar mais tempo mais ou até menos, pois existem variáveis que podem acontecer na pandemia e que podem brevemente alterar tais datas. Essas variáveis podem ser questões demográficas de cada país, como as pessoas respeitarem o isolamento social ou até mesmo a possibilidade de uma pessoa ser infectada duas vezes ou mais pelo vírus.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!