Enquanto o mundo está enfrentando a pandemia do novo coronavírus, que ainda não tem vacina nem mesmo um medicamento específico para combater o vírus, um caso de infecção por ameba "comedora de cérebro" está deixando os Estados Unidos sob alerta.

Caso de infecção por ameba 'comedora de cérebro'

Um caso raro de infecção causada pela ameba "comedora de cérebro" foi confirmado na Flórida, nos Estados Unidos. Segundo o Departamento de Saúde, uma pessoa foi diagnosticada no condado de Hillsborough, com a Naegleria fowleri, ameba microscópica unicelular que causa infecção no cérebro humano.

A ameba geralmente é encontrada em água morna e seu contato com o corpo humano é através das narinas.

Ainda não foram divulgadas informações sobre o estado de saúde da pessoa contaminada, nem mesmo como ela contraiu a ameba, que vale lembrar não é passada de uma pessoa para outra.

Essa infecção é mais comum nos estados que ficam localizados ao sul dos EUA, mas mesmo assim de forma rara. Na Flórida, desde o ano de 1962, foram registrados apenas 37 casos, mas devido a ser uma enfermidade com alto potencial mortal, as autoridades locais emitiram um alerta para os moradores da cidade de Hillsborough, na última sexta-feira (03).

Recomendações para evitar a ameba

As autoridades locais fizeram recomendações para os moradores da região para que evitem contato do nariz com água encanada e de outras locais da região.

A recomendação vale para águas que sejam de lago, rio e canais, lugares onde as infecções costumam ocorrer mais facilmente, devido às águas ficarem mais quentes no período que vai de julho a setembro.

As pessoas que são infectadas pela ameba costumas apresentar febre, náuseas, vômitos, nuca rígida e dor de cabeça.

Muitos infectados evoluem para a morte em até uma semana e a estimativa é que 97% dos infectados não resistem.

Os órgãos de saúde afirmaram que as pessoas que tiverem esses sintomas devem procurar de forma rápida um médico. Para prevenir a doença, a orientação é que as pessoas mantenham a água longe do nariz ao nadar ou fazer mergulhos em água doce, isso pode ser feito ao cobrir as narinas com as mãos, ao usar itens para tapar os buracos ou mesmo não levando-os para debaixo da água.

Sobre a alimentação dessa ameba

Segundo o CDC, essa ameba tem os ambientes úmidos como sua morada, como os solos encharcados e com água fresca, morna e doce. Com mais raridade, elas podem ser localizadas em piscinas que não possuem tratamento adequado com cloro ou mesmo em água aquecida de torneira.

A infecção ocorre quando a água que está contaminada e a ameba entram pelo nariz da pessoa, indo até seu cérebro e atacando o tecido do órgão, por isso o nome de "ameba comedora de cérebro".

Siga a página Saúde
Seguir
Siga a página Ciência
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!