A Índia está produzindo a vacina da Oxford-AstraZeneca contra a Covid-19, estratégia importante para o plano de imunização local. Em entrevista à Associated Press no último domingo (3), o presidente do Serum Institute da Índia, Adar Poonawalla, informou que o Governo do país vetou a exportação de doses da vacina da Oxford/AstraZeneca, aprovada no último sábado (2) para uso emergencial.

O governo indiano visa impossibilitar as exportações, pois esta foi uma das condições para que o produto fosse aprovado para uso emergencial no país. A medida tomada pelo governo tem a pretensão de garantir a imunização de no mínimo 100 milhões de pessoas que fazem parte de grupos prioritários e, diante disso, a estimativa é de que a produção desse imunizante não poderá ser exportada para os demais países antes de março.

Neste caso, o país só poderá comercializar a partir de março de 2021, segundo as condições impostas, informou o CEO Poonawalla.

Índia: negativa de exportação da vacina abala os planos da Fiocruz

A Fiocruz quer iniciar a vacinação em janeiro, mas a conclusão de sua produção está prevista para fevereiro, deixando o Brasil ainda mais atrasado em relação aos demais países que já começaram as campanhas de imunização. Nos últimos dias, a Fiocruz pediu autorização a Anvisa para a compra 2 milhões de doses prontas da vacina de Oxford para iniciar o combate à pandemia do coronavírus no Brasil.

Para garantir a segurança da população residente no Brasil, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) chegou a aprovar a importação, mas está exigindo que a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) mostre os dados dos componentes da vacina indiana para poder comparar com os imunizantes utilizados no Reino Unido.

Fiocruz e Anvisa fazem reunião para detalhar aquisição da vacina

Nesta segunda-feira (4), representantes da Fiocruz e da Anvisa se reuniram para discutir os detalhes relativos à aquisição das vacinas de Oxford/AstraZeneca. Mas, diante da negativa do governo indiano, a Fiocruz conquista a reversão da decisão por meio de uma solução diplomática do Ministério da Saúde e do Itamaraty junto ao governo da Índia para que as doses da vacina sejam liberadas e enfim possa iniciar a imunização.

Governo aposta na vacina Oxford/AstraZeneca

O governo do presidente Jair Bolsonaro tem apostado na vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford, que mantém uma parceria com a Fiocruz. A fundação visa produzir 100 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca. Essa meta de produção da Fiocruz pretende imunizar 50 milhões de brasileiros que se encontram nos grupos de risco e assim minimizar as milhares de mortes provocadas pela Covid-19.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!