O diretor de Produtos e Serviços Digitais da Rede Globo, Erick Brêtas, anunciou na última sexta-feira (6) que a emissora irá estrear um documentário sobre Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes.

Na declaração de Brêtas, ele ressaltou que a insatisfação com a não elucidação dos assassinatos de Marielle e Anderson não se trata de ser de esquerda ou de direita, é uma questão de opor civilização e barbárie. "E estamos do lado da civilização", afirmou ele.

A produção ganhou o nome de "Marielle - o documentário" e terá o seu primeiro episódio exibido na próxima quinta-feira (12), logo depois do Big Brother Brasil.

Os outros cinco episódios restantes estarão disponíveis no Globoplay, o serviço de streaming do grupo Globo. A direção e o roteiro são de Caio Cavechini.

O caso das mortes da vereadora do PSOL e de seu motorista ganhou destaque no mundo todo e causou uma comoção nacional.

A pergunta "Quem mandou matar Marielle?" ainda não foi respondida pelas autoridades responsáveis pela investigação.

O lançamento do documentário será na véspera do aniversário de dois anos dos assassinatos, ocorridos no dia 14 de março de 2018.

Gesto político

A data escolhida pelo maior grupo de mídia do Brasil para o lançamento da obra sinaliza que a emissora continuará cobrando a resolução desses assassinatos.

Além do documentário de Caio Cavechini, também será produzida pela empresa da família Marinho uma série dramática sobre a vereadora e seu motorista.

A série terá oito episódios e foi baseada em um argumento da autora Antonia Pellegrino.

Antonia é a criadora e produtora-executiva da série que tem a edição e o roteiro feitos por Eliane Scardovelli e direção de José Padilha.

José Padilha é conhecido por suas contribuições em filmes e séries que têm um olhar político sobre os acontecimentos que ele retrata.

Ele tem em seu currículo séries como "Narcos" e "O Mecanismo" e ganhou notoriedade com os dois filmes da franquia "Tropa de Elite".

A previsão de estreia para "Marielle - o documentário" é para o próximo ano.

No documentário que estreará na próxima quinta-feira, a narrativa lançará um olhar sobre as mortes de Marielle e Anderson, a investigação, como as famílias lidaram com a situação, o aparecimento das fake news e a trajetória de vida da vereadora psolista.

O primeiro episódio foi exibido para a imprensa na sexta-feira e leva o espectador a conhecer uma Marielle diferente do símbolo político que viria a se tornar.

No episódio são mostradas conversas por Whatsapp que Marielle e Anderson tiveram com seus familiares. A família do motorista Anderson Gomes também ganha destaque no documentário, por meio de sua viúva Agatha e seu filho Arthur.

Não perca a nossa página no Facebook!