Durante sua campanha eleitoral, o então candidato à presidência Jair Bolsonaro disse que se eleito abriria o que ele chamou de “caixa-preta” o Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES). Sem ter nenhuma revelação impactante, o órgão divulgou nesta sexta-feira (18) uma lista contendo os 50 maiores tomadores de empréstimos.

Em sua conta pessoal no Twitter, Bolsonaro comentou a divulgação da lista e disse: “Ainda vamos bem mais a fundo!”. Ele indicou o link para entrar no site do BNDES e avisou que ali existiam informações sobre os países que usaram os recursos brasileiros e por quais motivos tomaram o empréstimo.

“Tire suas conclusões”, escreveu o presidente.

Pelo link indicado por Bolsonaro é possível consultar informações de contratos com Cuba, Venezuela, Argentina, Gana, Guatemala, Honduras, Paraguai e Peru, dentre outros países. Ainda durante a campanha, Bolsonaro criticou os empréstimos feitos à Venezuela, afirmando que o Brasil “patrocinava o socialismo”, por meio do BNDES.

Na ferramenta é possível pesquisar toda movimentação feita por essas 50 empresas nos últimos 15 anos. Muitas dessas informações já estavam antes disponíveis e a novidade fica por conta de agora ser possível saber sobre os empréstimos para a exportação de bens de capital.

A principal tomadora de recursos do governo entre 2004 e 2018 foi a Petrobras, com mais de R$ 62 bilhões, o que corresponde a cerca de 4% de todo o montante de recursos tomados do banco.

Em segundo lugar aparece a empresa Embraer, com quase R$ 50 bilhões tomados em empréstimo, enquanto que a Norte Energia S/A captou em empréstimos pouco mais de R$ 25 bilhões, estando em terceiro lugar no ranking. Já considerado o último período, entre 2016 e 2018, a Embraer aparece como maior tomada, com R$ 8 bilhões em empréstimos.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Jair Bolsonaro

Transparência

Em nota, o BNDES afirmou que embora os dados já estivessem há três anos disponíveis, o acesso a essas informações foi facilitado para as pessoas. “O objetivo é, assim, tornar a navegação mais amigável e acessível”, disse um trecho da nota.

Volume de empréstimos diminuem

Segundo as últimas estimativas divulgadas pelo BNDES, o banco deverá fechar o exercício de 2018 com o menor volume de empréstimos dos últimos dez anos, com um total de R$ 71 bilhões emprestados, o que não chega a 1% do Produto Interno Bruno (PIB).

Em 2017 o valor dos empréstimos foi de R$ 70,8 bilhões, porém, percentualmente maior que em 2018 em relação ao PIB, ultrapassando 1% do Produto Interno Bruto.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo