Anúncio
Anúncio

Durante sua campanha eleitoral, o então candidato à presidência Jair Bolsonaro disse que se eleito abriria o que ele chamou de “caixa-preta” o Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES). Sem ter nenhuma revelação impactante, o órgão divulgou nesta sexta-feira (18) uma lista contendo os 50 maiores tomadores de empréstimos.

Em sua conta pessoal no Twitter, Bolsonaro comentou a divulgação da lista e disse: “Ainda vamos bem mais a fundo!”. Ele indicou o link para entrar no site do BNDES e avisou que ali existiam informações sobre os países que usaram os recursos brasileiros e por quais motivos tomaram o empréstimo. “Tire suas conclusões”, escreveu o presidente.

Pelo link indicado por Bolsonaro é possível consultar informações de contratos com Cuba, Venezuela, Argentina, Gana, Guatemala, Honduras, Paraguai e Peru, dentre outros países.

Anúncio

Ainda durante a campanha, Bolsonaro criticou os empréstimos feitos à Venezuela, afirmando que o Brasil “patrocinava o socialismo”, por meio do BNDES.

Na ferramenta é possível pesquisar toda movimentação feita por essas 50 empresas nos últimos 15 anos. Muitas dessas informações já estavam antes disponíveis e a novidade fica por conta de agora ser possível saber sobre os empréstimos para a exportação de bens de capital.

A principal tomadora de recursos do governo entre 2004 e 2018 foi a Petrobras, com mais de R$ 62 bilhões, o que corresponde a cerca de 4% de todo o montante de recursos tomados do banco.

Em segundo lugar aparece a empresa Embraer, com quase R$ 50 bilhões tomados em empréstimo, enquanto que a Norte Energia S/A captou em empréstimos pouco mais de R$ 25 bilhões, estando em terceiro lugar no ranking. Já considerado o último período, entre 2016 e 2018, a Embraer aparece como maior tomada, com R$ 8 bilhões em empréstimos.

Anúncio

Transparência

Em nota, o BNDES afirmou que embora os dados já estivessem há três anos disponíveis, o acesso a essas informações foi facilitado para as pessoas. “O objetivo é, assim, tornar a navegação mais amigável e acessível”, disse um trecho da nota.

Volume de empréstimos diminuem

Segundo as últimas estimativas divulgadas pelo BNDES, o banco deverá fechar o exercício de 2018 com o menor volume de empréstimos dos últimos dez anos, com um total de R$ 71 bilhões emprestados, o que não chega a 1% do Produto Interno Bruno (PIB). Em 2017 o valor dos empréstimos foi de R$ 70,8 bilhões, porém, percentualmente maior que em 2018 em relação ao PIB, ultrapassando 1% do Produto Interno Bruto.