Após participar da cerimônia de transmissão do cargo de comandante da Aeronáutica, ocorrida nesta sexta-feira (4), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que até o final do dia, o ministro da Economia, Paulo Guedes, irá anunciar a possibilidade de redução da alíquota máxima do imposto de renda de 27,5% para 25%.

“O [Ministro] Paulo Guedes anuncia hoje também a possibilidade de diminuir a alíquota do imposto de renda”, disse Bolsonaro. “Porque o nosso governo tem que ter a marca de não aumentar impostos”, seguiu o presidente.

Aumento de IOF

Na mesma entrevista, Bolsonaro também disse que a alíquota do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) será aumentada. Sem citar exatamente de quanto será esse aumento, o presidente disse apenas que será “fração mínima” e que ele servirá para compensar a prorrogação de benefícios fiscais para a região Norte e Nordeste, o qual classificou como “pauta-bomba”.

Assim, o chefe do executivo nacional, apesar de se colocar contra o aumento de impostos, se viu obrigado a reajustar tal tributação para não descumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Reforma da previdência

O presidente também teve que responder a questionamentos dos jornalistas sobre o projeto de reforma da Previdência. Sobre o assunto, Bolsonaro responde que pretende apresentar ainda neste mês um projeto de reforma ao Congresso Nacional, aproveitando partes do projeto enviado à Câmara pelo ex-presidente Michel Temer. “Vamos aproveitar que está na Câmara. A última proposta minha é aproveitar”, disse.

Moro foi rápido

Bolsonaro também comentou sobre o Ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro em autorizar o envio das Força Nacional ao Ceará, que vem sofrendo com ataques de facções criminosas.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Jair Bolsonaro

O presidente disse que seu ministro foi “muito hábil” e “muito rápido”.

Questionado sobre o fato do governador do estado, Camilo Santana, ser do Partido dos Trabalhadores (PT), Bolsonaro disse que jamais faria oposição de qualquer estado. “É o povo do Ceará que precisa de nós nesse momento”, destacou o presidente.

Deste da última quarta-feira (2), a capital do estado e várias outras cidades tem sofrido ataques de facções criminosas, que têm incendiado ônibus, tirado contra prédios públicos e delegacias, incendiado lojas e até mesmo explodido uma bomba debaixo de um viaduto, que corre o risco de desabar.

Até a manhã desta sexta-feira (4), 40 pessoas haviam sido detidas.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo